País

CONTEÚDO NEGACIONISTA: Sindicato de escolas particulares diz que isolamento na pandemia "não é ciência"

CONTEÚDO NEGACIONISTA: Sindicato de escolas particulares diz que isolamento na pandemia

Um vídeo institucional produzido pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Rio de Janeiro (SinepeRIo), em defesa da volta às aulas, vem causando polêmica nas redes sociais. A discussão gira em torno do texto da narração, que coloca em xeque estudos sobre a pandemia do novo coronavírus e o distanciamento social, recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e adotado em todo o mundo democrático.

A peça, de pouco menos de 1 minuto, mescla imagens de adultos, crianças em salas de aula e ao ar livre. A narradora começa falando em cumprimento de regras e protocolos e afirma que as escolas privadas fizeram “o dever de casa” e estão prontas para reiniciar. O texto segue, então, com as afirmações que geraram toda a polêmica.

“Vimos que ciência é a vacina. Estudos só confundiram. Trancar todos em casa não é ciência. Confinar é desconhecer, é ignorar, subtrair vida, é fragilizar, debilitar, mexer com o emocional”.

Por fim, a narração conclui que as crianças precisam “voltar a se relacionar, brincar, refazer laços, amizades e rever os amigos”.

“Vergonhoso, desumano, mentiroso e anti-ético o VT que o @SinepeRio jogou aos leões, hoje. A vergonha aumenta quando a gente lê o Código de Ética deles e vê que eles o descumprem, neste vídeo. O negócio é levar vantagem em tudo, né?”, comentou o usuário Afonso Borges, um dos primeiros a postar as imagens.

Repecussão foi negativa Ao longo desta segunda-feira, artistas e influenciadores digitais também criticaram o conteúdo do vídeo.

“Falta de vergonha, de humanidade e – pasmem – conhecimento científico dá nisso. Esse vídeo é um horror!”, escreveu a cantora Teresa Cristina.

O cantor e ativista Tico Santa Cruz também se mostrou indignado e cobrou que as escolas privadas se pronunciem sobre o vídeo:

“O Sindicato das escolas particulares do RJ fez esse vídeo INSTITUCIONAL, com conteúdo NEGACIONISTA em meio a uma pandemia que já matou mais de 85 mil pessoas! Temos que cobrar das escolas privadas uma posição sobre isso!”.

O Sinepe Rio ainda não se pronunciou sobre o caso.