País

Caixa adia depósitos do FGTS emergencial e alega "cadastros incompletos"

Caixa adia depósitos do FGTS emergencial e alega

A Caixa já deveria ter depositado o FGTS emergencial na poupança digital de trabalhadores nascidos em janeiro, fevereiro e março. Contudo, algumas pessoas foram comunicadas que o pagamento será depositado em outra data, sem maiores detalhes sobre o motivo do atraso.

A Caixa declarou ao UOL que não houve alteração no calendário de pagamentos, mas disse que, para trabalhadores que estavam com cadastro incompleto, “o crédito foi reprogramado para o calendário seguinte, condicionado à complementação dos dados no app FGTS”.

Ao divulgar as regras do FGTS emergencial, a Caixa não orientou os trabalhadores a completarem cadastros. Tanto o depósito quando a abertura de uma poupança digital na Caixa deveriam ser automáticos. A Caixa havia pedido somente que pessoas não interessadas em receber o depósito avisassem o banco por meio do aplicativo FGTS.

Como verificar a situação de seu cadastro

Segundo a Caixa, “alguns trabalhadores podem estar com as informações divergentes no cadastro, a exemplo de endereço, nome da mãe, data de nascimento”. Nesse caso, a abertura da poupança digital só é possível após atualização das informações.

O banco afirmou que o trabalhador pode verificar a situação do seu cadastro de três formas:

Telefone 111

Aplicativo FGTS (disponível para sistemas Android e iOS)

site do FGTS

“A mensagem apresentada ao trabalhador informa se há necessidade de atualização do cadastro, que deve ser realizada pelo App FGTS, sem a necessidade de comparecer em uma agência. Com o cadastro atualizado, o crédito será programado para ocorrer na data prevista no calendário divulgado”, afirmou a Caixa.

O que é o FGTS emergencial

O FGTS emergencial é a liberação de até R$ 1.045 por trabalhador, considerando o saldo de contas ativas e inativas, como medida para combater a crise econômica do coronavírus. A data do pagamento depende do mês de nascimento do trabalhador.

O depósito em poupança digital na Caixa para trabalhadores nascidos em janeiro, fevereiro e março deveria ter acontecido em 29 de junho, 6 de julho e 13 de julho, respectivamente. Por enquanto, as pessoas que receberam podem usar o dinheiro apenas para pagamento de boletos e compras online pelo app Caixa Tem (disponível para Android e iOS).

Saques e transferências são autorizados num segundo momento, com uma diferença que pode ser de até cinco meses. Confira o calendário completo mais abaixo.

Trabalhadores reclamam de atraso sem explicação

Nascida em março, Vitória Carvalho deveria ter recebido o depósito nesta segunda-feira (13). Ela diz que sua poupança digital na Caixa já estava ativa, apenas aguardando o depósito.

“Quando abri o aplicativo para confirmar que seria feita a transferência, constava que a minha conta ainda não estava aberta e que eu deveria aguardar o processamento”, afirma. Agora, o site do FGTS informa que ela receberá no dia 27 de julho, data em que o FGTS emergencial deve ser depositado para os nascidos em maio.

Renan Wolff, que também é aniversariante de março, ainda não recebeu. “O site do FGTS me avisou que eu precisaria criar um cadastro com endereço, documento e renda mensal. Ao final do cadastro, o site me avisa que levariam até 10 dias úteis para aprovar o cadastro”.

A situação de Rafael Rodrigues é ainda pior. Nascido em janeiro, ele deveria ter recebido o crédito em conta há mais de duas semanas, em 29 de junho. Mas a Caixa informou que a poupança digital não foi aberta.

“Quando entro no aplicativo e tento fazer o procedimento sempre aparece a mensagem para tentar mais tarde”, afirma.

Reclamações sobre os apps da Caixa

A Caixa tem enfrentado problemas técnicos com os aplicativos FGTS e Caixa Tem. Desde a semana passada, muitos usuários têm reclamado de instabilidade e filas virtuais que podem durar horas.