País

Brasil pode ganhar Dia de Combate à Poluição nos Oceanos

Estima-se que, no ano de 2050, haverá mais plásticos no oceano, em peso, que peixes | Pixabay
Estima-se que, no ano de 2050, haverá mais plásticos no oceano, em peso, que peixes | Pixabay

De acordo com informações da Agência Senado, o combate à poluição nas praias e ambientes marinhos pode ganhar um reforço. É que a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou na última terça-feira (12) o Projeto de Lei (PLC) 112/2018 que institui o dia 8 de junho como o Dia Nacional de Combate à Poluição nos Oceanos e de Limpeza das Praias. O PL agora segue para votação no plenário.

A data será celebrada anualmente, no mesmo dia em que é comemorado o Dia Mundial dos Oceanos, e foi sugerida pelo deputado Alessandro Molon (Rede-RJ). Na justificativa, ele ressalta a necessidade de se conscientizar a população sobre a poluição das praias e oceanos, sobretudo por resíduos sólidos plásticos.

Desde o final de agosto, praias dos nove estados do Nordeste sofrem com o aparecimento de manchas de óleo no mar. O desastre ambiental já é considerado o maior do gênero em extensão. Até o final de outubro, foram registradas manchas em 94 municípios e 264 praias.

O desastre foi lembrado pelo relator, senador Fabiano Contarato (Rede-ES). Ele recomendou a aprovação do texto ao destacar que a ideia original do autor encontrou fundamento da poluição marítima especialmente de origem continental, mas o impacto do derramamento de óleo no litoral nordestino para as águas, fauna e flora aquática, praias e população reforça a necessidade de integrar as pessoas na mobilização pelo respeito às zonas costeiras e aos oceanos.

“Dois meses depois de avistadas pela primeira vez, a origem permanece desconhecida e ainda não se tem exato conhecimento da estratégia efetiva para contenção do vazamento, limpeza dos locais atingidos e plano detalhado para lidar com os danos já ocasionados”, ressaltou, no relatório favorável ao projeto.

Contarato também reconheceu que a iniciativa vai colaborar para que as instituições de ensino tenham em suas agendas essa data registrada, “auxiliando a se recordar da importância das ações de conscientização e educação ambiental com relação ao ambiente marítimo e às praias brasileiras”.

Resíduos

Conforme dados apresentados no relatório, ingressam, a cada ano, nos oceanos do planeta, entre 8 e 12 milhões de toneladas de plástico, cuja decomposição pode levar décadas ou até mesmo séculos, a depender do tipo do material.

De acordo com previsões, estima-se que, no ano de 2050, haverá mais plásticos no oceano, em peso, que peixes. Estudos indicam também que 70% do montante de plásticos alcançam os oceanos após descarte inadequado de resíduos sólidos.