País

Aval da Câmara e do Senado | MP de substituto do Mais Médicos pode caducar se não for votada até 5ª

Aval da Câmara e do Senado | MP de substituto do Mais Médicos pode caducar se não for votada até 5ª

A medida provisória que prevê o Médicos pelo Brasil, assinada pelo presidente , corre o risco de caducar se não for votada pela Câmara e pelo Senado até quinta-feira, 28. Só com a aprovação do texto o governo vai lançar o edital do programa, idealizado para substituir o Mais Médicos.

Para não perder os efeitos, a MP precisa ser votada pelo plenário da Câmara e do Senado. Com sessões do Congresso Nacional nesta terça e na quarta, a agenda está apertada. Além disso, parlamentares citam uma insatisfação com o Palácio do Planalto na discussão de medidas enviadas ao Congresso como pano de fundo para o cenário.

Nesta terça-feira, 26, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esteve no Congresso para tentar costurar um acordo. Segundo parlamentares ouvidos pelo Broadcast Político, o chefe da pasta manifestou preocupação com a possibilidade de a MP caducar.

O líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), afirmou que há uma tentativa de acordo para votar a medida hoje na Câmara e amanhã no Senado. "Vamos votar", afirmou. A previsão depende, no entanto, do avanço da sessão conjunta do Congresso Nacional nesta terça, 26, para analisar vetos presidenciais.