País

Afetado pelo fim do DPVAT, Luciano Bivar acredita que medida não seja retaliação de Bolsonaro

Afetado pelo fim do DPVAT, Luciano Bivar acredita que medida não seja retaliação de Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro(PSL), anunciou na última segunda-feira(11) uma medida Provisória que acabará com o seguro obrigatório DPVAT, que indeniza vítimas de qualquer acidentes de trânsito. Além de extinguir a possibilidade de que as pessoas obtenham proventos após sofrerem qualquer tipo de acidente a decisão de Bolsonaro também afetará diretamente os recursos do presidente do seu partido, Luciano Bivar.

A Excelsior Seguros, empresa de Luciano Bivar, detém 1% da Seguradora Líder o consórcio que administra o DPVAT. Bivar não revela quanto recebe pelo seguro anualmente e descartou a possibilidade da decisão de Bolsonaro ser uma retaliação contra ele.

“Acho que não, isso foi uma coisa da estrutura do governo, não foi nada direcionado a mim”, afirmou Bivar. “Isso é uma questão do Ministério da Economia. Sou pelo que é melhor para o Brasil, independentemente dos meus interesses privados”, concluiu.