Mundo

Tuítes de Trump fazem procurador-geral dos EUA pensar em renúncia

Tuítes de Trump fazem procurador-geral dos EUA pensar em renúncia
Barr já disse que Trump torna seu trabalho 'impossível'

Barr já disse que Trump torna seu trabalho 'impossível'

Michael Reynalds / EFE-EPA - 10.2.2020

O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, está pensando em renunciar após os tuítes do presidente Donald Trump, que ele recentemente confessou estar tornando-o "impossível" fazer seu trabalho.

O jornal The Washington Post informou na terça-feira (18) que Barr já conversou com pessoas próximas a Trump sobre seus planos, de acordo com três autoridades que conversaram com jornalistas sob condição de anonimato.

Essas fontes também indicaram que Barr estaria comunicando sua intenção de renunciar à comitiva de Trump com o objetivo de que o presidente pare de comentar no Twitter sobre o Departamento de Justiça. "Isso tem limites", disse um dos funcionários.

Barr já reclamou de Trump

Na semana passada, Barr disse à emissora ABC que as críticas ao presidente estão tornando "impossível" para ele fazer seu trabalho e advertiu que ele não será "intimidado ou influenciado por ninguém".

As declarações vieram depois que Trump criticou o pedido de condenação do Departamento de Justiça de Roger Stone, um ex-colaborador próximo do presidente que foi condenado por sete acusações por seu envolvimento na suposta conspiração russa.

"Não serei intimidado ou influenciado por ninguém, seja no Congresso, equipe editorial de um jornal ou o presidente", afirmou Barr.

"(As críticas de Trump) tornam impossível o meu trabalho e quero garantir que os tribunais e promotores do meu departamento estão fazendo o nosso trabalho com integridade", afirmou.

Os ataques de Trump no Twitter contra o Departamento de Justiça, liderado por Barr, por causa do caso Stone, levaram à renúncia dos quatro promotores encarregados desse processo.