Mundo

Templos da Igreja Universal são depredados após prisão de ex-pastor

Templos da Igreja Universal são depredados após prisão de ex-pastor

Vários templos da Igreja Universal do Reino de Deus em São Tomé e Príncipe foram depredados por populares após um ex-pastor ser preso na Costa do Marfim, acusado de ser o autor de várias mensagens de calúnia contra a denominação que vinham sendo investigadas desde 2018.

A prisão do religioso revoltou a população e vários grupos se juntaram para depredar as igrejas da IURD.

O bispo Gonçalves da Costa, responsável pela Universal nos países africanos de língua portuguesa, declarou ao site oficial da igreja que a denominação não tem responsabilidade sobre a prisão.

“Quando soubemos que era o pastor o autor dos crimes, ficamos realmente decepcionados. Jamais esperávamos por isso. Nós não entramos com ação contra nenhum pastor, nós não mandamos prender nenhum pastor. Foi a polícia, a Justiça da Costa do Marfim que investigou, abriu o processo e determinou a prisão dele”.

A Justiça de Costa do Marfim prendeu o ex-pastor em 11 de setembro, ele foi julgado e condenado a um ano de prisão pelos crimes de usurpação de identidade, difamação, mobilização à revolta, entre outros.

A esposa desse pastor voltou para São Tomé e Príncipe e pediu ajuda para soltar o preso, iniciando uma pressão política.

Representantes da IURD chegaram a ser chamados na Assembleia Nacional para prestar informações e dizer que não tinham culpa sobre as decisões da Justiça do país vizinho.

“A igreja apenas denunciou as agressões e ameaças que vinha sofrendo nas redes sociais, sem saber quem seriam os agressores”, diz texto do site oficial da IURD.

Os deputados deram um prazo de oito dias para a Universal soltar o pastor, mas o pedido fugia do possível, pois não tinha como a igreja interferir em uma questão judicial.

A partir das declarações públicas dos políticos são-tomenses, populares passaram a atacar e depredar os templos da Universal na ilha africana.

Vários templos foram depredados e durante um confronto com a polícia, um menino de 11 anos foi morto por uma bala perdida.

Confira o vídeo: