Mundo

Regras de distanciamento social barram Jacinda Ardern em café

Regras de distanciamento social barram Jacinda Ardern em café

Apontada como responsável pelo bom controle do surto do novo coronavírus na Nova Zelândia, a primeira-ministra Jacinda Ardern se viu em uma situação curiosa na manhã de sexta-feira (15). Ela e seu companheiro, Clarke Gayford, foram barrados na porta de um café em Wellington, capital do país.

O motivo para os dois terem ficado do lado de fora é totalmente relacionado às políticas adotadas para a reabertura do comércio na Nova Zelândia: o local estava com a capacidade máxima de clientes dentro das regras de distanciamento social. Na última quarta-feira, cafés e restaurantes puderam reabrir, mas os clientes devem se sentar afastados uns dos outros e ser atendidos na mesa, não no balcão.

O episódio ficou conhecido depois que um dos clientes escreveu, no Twitter, que a primeira-ministra tinha parado na porta. Gayford respondeu ao internauta, dizendo que a culpa teria sido dele, por não fazer as reservas, e contou que um funcionário foi atrás deles na rua, quando já iam embora, porque uma mesa ficou desocupada.

'Cliente comum'

Em entrevista ao jornal New Zealand Herald, o dono do café Olive, que preferiu não se identificar, disse que foi bom poder falar de algo "leve e divertido após tantos dias sombrios" durante a quarentena da covid-19.

"Ela comeu e foi embora em meia hora. Foi muito amável com todos os funcionários e foi tratada como tratamos todos os clientes", contou o proprietário, que garantiu que não abriria uma vaga a mais para a premiê. "Estamos cumprindo todas as regras aqui"