Mundo

Rapper e ativista LGBT, Kevin Fret é assassinado em Porto Rico

Rapper e ativista LGBT, Kevin Fret é assassinado em Porto Rico

Polícia ainda não sabe se houve alguma motivação específica. Estrela em ascensão é mais uma vítima da onda de violência que assola o país

Rapper e ativista LGBT, Kevin Fret é assassinado em Porto Rico

Beatriz Sanz, do R7
  • Kevin Fret, 24, um dos poucos rappers abertamente gays de Porto Rico, foi assassinado nesta quinta-feira (10), com oito tiros enquanto andava de moto na capital San Juan.

    A morte do artista é um dos indicadores da grande violência que assola Porto Rico. Segundo a polícia local, aconteceram 22 assassinatos apenas nos primeiros 10 dias deste ano, uma média de mais de duas mortes por dia.

    O crime já está sendo investigado pela polícia, mas os oficiais afirmaram que ainda não sabem se houve alguma motivação específica.

    Porto Rico é um território latino que foi incorporado aos Estados Unidos em 2017, após a população validar a decisão em um referendo.

    A carreira de Fret começou em 2018, quando ele lançou o single “Soy Así” (Sou assim, em tradução livre do espanhol).

    Considerado uma estrela em ascensão, sua música e seu trabalho artístico estavam repletos de críticas à lgbtfobia.

    "Sou uma pessoa que não se importa com o que alguém tem a dizer", disse Fret à revista online Paper no ano passado.

    "[Agora eu vejo] rapazes gays jovens ou lésbicas jovens que estão olhando para mim agora como um modelo, como uau, se ele fez isso, e ele não se importa com o que mais alguém tem a dizer, eu posso fazer isso".

    Fret também se envolveu em polêmicas, como uma agressão a um homem em Miami. Segundo o cantor, o homem havia feito comentários homofóbicos contra ele.