Mundo

Queda no Iraque deixou 176 mortos | Canadá diz ter informação de que Irã derrubou avião ucraniano; Teerã nega

Queda no Iraque deixou 176 mortos | Canadá diz ter informação de que Irã derrubou avião ucraniano; Teerã nega

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, disse ter informações de autoridades que foi um míssil enviado pelo Irã que derrubou ontem um Boeing 737 da Ukraine International Airlines em Teerã, capital do Irã, deixando 176 mortos — sendo 63 passageiros canadenses. Autoridades do Irã negaram a possibilidade, que classificaram como "rumores ilógicos".

"Isso pode ter sido acidental", afirmou Trudeau, acrescentando ainda que parceiros internacionais estão envolvidos na investigação. "É extremamente importante que haja uma investigação completa".

Um oficial norte-americano disse para a CNN que, na verdade, foram dois mísseis, fabricados pela Rússia, que atingiram a aeronave. Os EUA viram os sinais do radar iraniano travarem no avião antes de ser abatido.

Quando perguntado sobre a responsabilidade dos Estados Unidos no acidente aéreo, devido aos conflitos recentes com o Irã, o primeiro-ministro canadense disse ainda não ter certeza.

"As evidências sugerem que essa é a causa provável, mas precisamos ter uma investigação completa para estabelecer exatamente o que aconteceu. É isso que estamos pedindo e é isso que esperamos que aconteça", disse.

"Estou disposto a conversar com todos que tiverem respostas", completou Trudeau.

O New York Times divulgou hoje um vídeo exclusivo do momento em que o avião foi abatido. O site afirmou ter analisado as imagens e que se trata do Boeing 737 da Ukraine International Airlines.

O voo PS752 seguia da capital iraniana com destino a Kiev, na Ucrânia. A embaixada da Ucrânia no Irã disse logo após o acidente que o Boeing 737 sofreu uma falha no motor e que o acidente não foi causado por "terrorismo".

Posteriormente, a embaixada emitiu novo comunicado e retirou o termo "problema mecânico" como sendo a causa do acidente.

A queda da aeronave acontece horas depois de duas bases iraquianas que abrigam tropas dos EUA serem atacadas pela Guarda Revolucionária do Irã. O ataque foi uma resposta após a morte de Qassim Suleimani depois de ofensiva americana.