Mundo

Ofensiva dos EUA na Síria | Trump diz que líder do Estado Islâmico explodiu colete ao lado de três filhos

Ofensiva dos EUA na Síria | Trump diz que líder do Estado Islâmico explodiu colete ao lado de três filhos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou nesta manhã que o líder do Estado Islâmico Abu Bakr al-Baghdadi, um dos terroristas mais procurados do mundo, morreu durante uma operação militar liderada pelo país na Síria.

"Ontem à noite os Estados Unidos levaram o líder terrorista número um do mundo à justiça. Abu Bakr al-Baghdadi está morto. Ele morreu como um cachorro, como um covarde. O mundo está mais seguro agora", anunciou Trump em pronunciamento nesta manhã.

Trump afirmou que o terrorista se suicidou ao explodir um colete ao lado de três de seus filhos, matando todos. Ele disse que nenhum oficial americano morreu durante a operação e onze crianças que estavam no local foram retiradas sem ferimentos.

O presidente dos Estados Unidos classificou o Estado Islâmico como a "organização terrorista mais cruel violenta do mundo". Ele disse que o terrorista estava sob vigilância por algumas semanas.

"Capturar ou matar Baghdadi vinha sendo a principal prioridade de segurança nacional da minha administração", disse. Segundo ele, um grande número de combatentes e companheiros de Baghdadi também foram mortos.

Durante o pronunciamento, Trump agradeceu a Rússia, a Turquia, a Síria, o Iraque e os curdos pela ajuda na missão.

Quem era Abu Bakr Al-Baghdadi?

Nascido no Iraque em 1971 (não há certeza sobre essa data), o nome verdadeiro de Baghdadi é Ibrahim Awwad Ibrahim al-Badri. Apaixonado por futebol, ele fracassou em sua tentativa de ser advogado e militar, e começou a estudar teologia.

No fim dos anos 2000 se envolveu com a Al-Qaeda no Iraque, que mais tarde daria origem ao EI.

Em fevereiro de 2004, foi preso pelo Exército dos Estados Unidos e ficou 10 meses detido no campo de Bucca.

Vestido de preto e com turbante, o extremista pediu para todos os muçulmanos lhe jurarem lealdade, após ser nomeado chefe do califado proclamado pelo EI nos extensos territórios que tinha conquistado no Iraque e na vizinha Síria.