Mundo

Monitorada desde maio | Argentina faz alerta na fronteira com RS por nuvem de gafanhotos

Monitorada desde maio | Argentina faz alerta na fronteira com RS por nuvem de gafanhotos

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa), do governo da Argentina, emitiu um alerta de perigo na fronteira com o Rio Grande do Sul devido ao avanço de uma nuvem de gafanhotos que vem sendo monitorada desde maio pelo país vizinho.

A nuvem veio do Paraguai e chegou à província de Santa Fé, na Argentina, no dia 17. Dois dias depois, avançou pelo Rio Paraná até Corrientes. De acordo com o Senasa, a previsão é de que, com os fortes ventos, a nuvem chegue hoje à província de Entre Ríos. Autoridades de outras cidades no país, como Córdoba, também monitoram a situação.

O mapa de alerta (veja abaixo) mostra em uma faixa vermelha as regiões do país que estão em "perigo". Parte delas faz fronteira com o Rio Grande do Sul.

O Ministério da Agricultura da Argentina pediu que agricultores comuniquem o aparecimento da nuvem devido ao risco de danos às pastagens. Segundo a pasta, a nuvem se movimentou por quase 100 quilômetros em um dia devido às altas temperaturas e ao vento, e até 40 milhões de insetos podem ser mobilizados.

Imagens divulgadas pelo Ministério e pelo Senasa mostram a chegada da nuvem a Santa Fé e a destruição causada pelos insetos em uma lavoura de milho, ainda em maio, em uma localidade da província de Formosa.

As nuvens de gafanhoto costumam surgir quando ocorre um aumento exagerado na quantidade de gafanhotos de uma região. Esse aumento populacional está ligado a mudanças climáticas. Na falta de comida, eles se aglomeram e se deslocam em busca de alimentos.