Mundo

Jacinda Ardern | Premiê é barrada em café da Nova Zelândia por lotação máxima

Jacinda Ardern | Premiê é barrada em café da Nova Zelândia por lotação máxima

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, foi impedida de entrar em um café famoso de Wellington porque o local já estava com a capacidade máxima. Devido ao novo coronavírus, os estabelecimentos do país estão praticando distanciamento entre os clientes e limitando entradas.

A história viralizou depois que uma pessoa postou no Twitter. "Meu deus Jacinda Ardern simplesmente tentou entrar no Olive e foi rejeitada porque está cheio", escreveu um internauta. Logo depois ele voltou a tuitar: "Esqueçam, eles resolveram".

O companheiro de Jacinda, Clarke Gayford, respondeu ao tuíte assumindo a culpa: "Eu tenho que assumir a responsabilidade por isso, não me organizei e não reservei lugar". Ele contou que, ao surgir uma vaga dentro do café, um funcionário os procurou na rua.

"Foi muito gentil da parte deles nos perseguir quando um ponto foi liberado. Serviço A +", disse.

Um porta-voz do escritório da premiê disse que qualquer pessoa está sujeita a precisar esperar do lado de fora dos estabelecimentos, devido às medidas de distanciamento. "A primeira-ministra disse que simplesmente esperaria como todo mundo".

O dono do estabelecimento ficou surpreso com a repercussão, mas contou em entrevista ao New Zealand Herald ficou satisfeito de ter ocorrido algo "engraçado" após "drama e estresse" dos últimos meses.

Com menos de 1.500 pessoas infectada e apenas 21 mortes, a Nova Zelândia reabriu escolas, cinemas e bares e declarou vitória na batalha contra a pandemia.