Mundo

Irã registra novo recorde diário de mortes e obriga uso de máscaras

Irã registra novo recorde diário de mortes e obriga uso de máscaras

O Irã registrou neste domingo (5) um novo recorde diário de mortes pela covid-19. Foram 163 óbitos em 24 horas, mesmo dia em que o uso obrigatório de máscaras em espaços fechados entrou em vigor para tentar conter o contágio pelo novo coronavírus.

A porta-voz do Ministério da Saúde iraniano, Sima Sadat Lari, divulgou os novos números de mortes, que elevou o total de vítimas no país desde o início do surto para 11.571.

Desde ontem (4), segundo Lari, foram contados 2.560 novos casos de infecção, dos quais 1.295 pacientes tiveram que ser hospitalizados, o que eleva o número total de pacientes para 240.438.

O Irã, o país do Oriente Médio mais afetado pela pandemia, conseguiu reduzir seus dados diários sobre infecções e mortes entre meados de abril e início de maio, quando os números eram de três e dois dígitos, respectivamente. Entretanto, em 29 de junho, houve 162 óbitos, o número mais alto desde o dia 4 de abril, quando foram 158.

Obrigatoriedade de máscaras

Diante dessa tendência crescente de infecções, o governo iraniano decidiu impor o uso obrigatório de máscaras a partir de hoje deste domingo e lançou uma campanha na última semana para aumentar a conscientização sobre sua importância.

O vice-ministro da Saúde, Iraj Harirchí, explicou que os responsáveis ​​pelos diferentes escritórios do governo, bancos ou transporte público serão responsáveis ​​pela implementação da medida.

O presidente do Irã, Hasan Rohaní, disse ontem que em escritórios do governo, nenhum cidadão sem máscara será atendido, enquanto Harirchí disse que, neste caso, as autoridades serão enviadas para casa.

Como a Efe verificou, os funcionários de várias lojas e supermercados da capital começaram a usar máscaras, mas não pediram que os clientes os vestissem.

O vice-ministro indicou que nos últimos dias em Teerã, que está em alerta, o uso da máscara multiplicou por dois.

Fase de alerta

A fase de alerta é anterior ao estado vermelho, o que implica que é uma área de alto risco devido à forte incidência do novo coronavírus.

Atualmente, do total de 31 províncias, nove estão em alerta, incluindo a central em Isfahan. Outras nove estão no estado vermelho, todas localizadas nas fronteiras oeste, sul e leste do país.

Nas nove províncias do estado vermelho, o Ministério da Saúde concedeu às autoridades locais permissão para reimpor restrições por uma semana.

Harirchí explicou que em algumas áreas foram fechados restaurantes, cafés, cinemas, teatros e mesquitas e em outras, eventos como cerimônias culturais e religiosas, casamentos e funerais foram cancelados.