Mundo

Irã levará assassinato de Soleimani para a Justiça internacional

Irã levará assassinato de Soleimani para a Justiça internacional
Irã segue protestando contra a morte de Soleimani

Irã segue protestando contra a morte de Soleimani

Thaier al-Sudani/ Reuters - 04.01.2020

O chefe do Poder Judiciário do Irã, Ebrahim Raisi, disse neste domingo (16) que o país está trabalhando com o Iraque para levar a instâncias internacionais o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani, ocorrido no dia 3 de janeiro, em um bombardeio dos Estados Unidos em Bagdá.

Raisi explicou que as autoridades judiciais do Irã e do Iraque "estão investigando o caso do martírio de Qasem Soleimani" e que o processo já foi aberto no Ministério Público de Teerã para punir os culpados, segundo a agência "Tasnim".

"Os juízes foram designados para trabalhar com o Departamento Internacional do Judiciário e do Ministério das Relações Exteriores e acompanhar a questão no país em cooperação com as principais autoridades judiciais do Iraque", afirmou.

Associação com o Iraque

Por sua parte, o vice-ministro da Justiça iraniano, Mahmoud Abbasi, disse que seu país e o Iraque levarão esse caso a Corte Internacional de Justiça (CIJ), pois o assassinato viola a Carta das Nações Unidas.

Abbasi se encontrou hoje em Teerã com uma delegação judicial iraquiana e as duas partes concordaram em formar uma comissão conjunta para investigar o assassinato de Soleimani.

O bombardeio americano também matou vários líderes da milícia iraquiana majoritariamente xiita, Forças de Mobilização Popular (PMF, na sigla em inglês), incluindo o "número dois", Abu Mahdi al-Muhandis.

As mortes de Soleimani e Al Muhandis, por ordem direta do presidente dos EUA, Donald Trump, provocou um aumento de tensão na região do Oriente Médio.