Mundo

EUA: Namorado canibal é julgado por matar e comer cérebro da ex

EUA: Namorado canibal é julgado por matar e comer cérebro da ex

Homem é acusado de esfaquear e cozinhar partes do corpo de namorada, em 2014. Em 2017, ele foi considerado mentalmente incapaz de ser julgado

Giovanna Orlando, do R7

O julgamento do homem acusado de matar e comer partes da ex-namorada em 2014 começou nesta semana.

Joseph Oberhansley, de 38 anos, é acusado de invadir e esfaquear Tammy Jo Blanton depois que ela terminou o relacionamento.

Na época do crime, a polícia afirmou que parte do cérebro, coração e pulmão da mulher estavam faltando e o homem admitiu ter cozinhado uma parte dos órgãos e comido quando foi detido. Ele usou uma serra elétrica para abrir o crânio de Tammy.

O homem depois disse que as acusações contra ele eram “ridículas” e insistia que era inocente.

Blanton havia acusado o ex-namorado de estupro uma semana antes do assassinato. Ele disse que era mentira.

Em 2017, o homem foi considerado incapaz mentalmente de ser julgado. Ele foi hospitalizado por mais de seis meses em um hospital psiquiátrico depois de uma decisão judicial. No ano passado, um médico disse que Oberhansley estava melhor e foi liberado para ficar sob custódia da polícia.

O homem disse durante uma audiência em julho que a ex-namorada “estava drogada e mandando mensagens cheias de besteiras” para ele e afirmou ter encontrado provas que o inocentavam.

Ele disse que os detetives não encontraram a arma do crime, uma vez que uma “faquinha” como a apreendida não podia ser capaz de causar tantos estragos.
Os advogados de defesa o aconselharam a ficar quieto e o juiz pediu que ele guardasse os argumentos para o julgamento. Se acusado, ele pode ser sentenciado a prisão perpétua sem fiança.

O crime aconteceu em 2014, quando Oberhansley estava em liberdade condicional depois de matar a namorada de 17 anos, Sabrina Elder, durante um ataque de fúria causado por uso excessivo de drogas em 1998.

Tammy Blanton foi esfaqueada e parte do crânio foi encontrado na banheira. Os policiais também encontraram um prato com sangue e partes humanas na casa.
Na autópsia, a perícia confirmou que parte do coração, pulmões e cérebro da mulher estavam faltando.

Oberhansley também é acusado de atirar nas costas da própria mãe e da irmã.
Ele disse ao juiz em maio deste ano que sentia que usar a desculpa dos problemas mentais era como admitir culpa ao júri e disse não sofrer de demência e insanidade.