Mundo

Equipes de resgate trabalham na ajuda aos afetados nas Bahamas

Equipes de resgate trabalham na ajuda aos afetados nas Bahamas

Por ora, sete mortes foram confirmadas, mas autoridades alertaram que número pode subir. Outros países estão participando de operações de resgate

Da EFE

Equipes de resgate das Bahamas, com apoio de agentes de outros países, atuam nesta quarta-feira (4) nos trabalhos de assistência às milhares de pessoas que buscam parentes e amigos ou sofreram danos materiais devido à passagem do , no noroeste do arquipélago.

Até o início da noite, o balanço provisório da tragédia era de , mas as autoridades locais alertaram que o número pode aumentar.

A ajuda vem chegando muito lentamente às ilhas Ábaco e Grand Bahama, as duas mais atingidas no arquipélago por Dorian. Além disso, a imprensa bahamense denunciou atos de vandalismo por parte de pessoas que tentam roubar alimentos e água engarrafada.

A Guarda Costeira dos Estados Unidos está atuando desde a última segunda-feira (2) no Ábaco, onde resgatou cerca de 60 pessoas, que realiza suas operações tendo como base a ilha de Andros. A corporação apoia nos trabalhos de resgate a Agência Nacional de Uso de Emergências das Bahamas e a Real Força de Defesa das Bahamas, que lideram os trabalhos de busca e resgate.

Em nível regional, a Agência de Gerenciamento de Emergências e Desastres do Caribe (CDEMA), com sede em Barbados, conta já com uma equipe de avaliação rápida preparando uma análise do impacto em parceria com a Agência Nacional de Gerenciamento de Emergências (Nema).

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, transmitiu ao primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, suas condolências pelas vítimas e danos materiais provocados pelo furacão Dorian, e ofereceu cooperaração "na mitigação dos prejuízos".

Os relatórios preliminares sobre o impacto do furacão nas Bahamas indicam que a devastação não tem precedentes. Incontáveis casas, estabelecimentos comerciais e prédios residenciais em Ábaco e Grand Bahama ficaram total ou parcialmente arrasadas.

O governo das Bahamas identificou necessidades imediatas como bombas de água, geradores de energia, e equipes de higiene.

A Jamaica, que também faz parte da ajuda internacional, anunciou hoje que mobilizará recursos para ajudar as Bahamas.

As companhias de cruzeiros, que têm nas Bahamas um de seus principais destinos turísticos, anunciaram doações e outras ajudas. A Royal Caribbean ofereceu uma doação de US$ 1 milhão, mesma quantia prometeu doada pelo grupo Walt Disney, proprietário da Disney Cruise Line.

O centro do furacão Dorian se move hoje em direção a norte-noroeste em paralelo à costa nordeste da Flórida com ventos máximos sustentados de 165 km/h e intensas chuvas, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC).