Mundo

Epidemia italiana deve se estabilizar em breve, diz OMS

Epidemia italiana deve se estabilizar em breve, diz OMS

Prefeito da cidade de Cisternino, na Itália, participa de funeral coletivo

Alessandro Garofalo / Reuters - 30.3.2020

Em breve, a epidemia de coronavírus na Itália deverá se estabilizar graças ao isolamento social e as demais medidas de restrição em vigência no país desde as últimas duas semanas. Entretanto, é necessário acompanhamento vigilante, disse uma autoridade da OMS (Organização Mundial da Saúde) nesta segunda-feira (30).

"Esperamos que a Itália e a Espanha estejam quase lá (no pico), mas o vírus não diminui por si só, ele precisa ser eliminado por meio de esforços de saúde pública", disse Mike Ryan, principal especialista em emergências da OMS, em entrevista coletiva.

No caso da Itália, Ryan disse que o país deve começar a ver uma estabilização. "Os casos que vemos hoje refletem realmente as exposições há duas semanas", afirmou.

Novos dados

O número de mortos pela pandemia do coronavírus na Itália subiu em 812, atingindo um total de 11.591, informou a Agência de Proteção Civil nesta segunda. Isso significa um aumento nos óbitos e reverte queda na taxa diária registrada no domingo (29).

Leia mais: Mortes por coronavírus caem na Itália, mas isolamento continua

O registro do número de novos casos contabiliza 4.050, o índice mais baixo desde 17 de março. Foram registrados 5.217 casos no domingo e 5.974 no sábado. No total, 101.739.

Nesta segunda, dados mostram que dos originalmente infectados em todo o país, 14.620 haviam se recuperaram totalmente, em comparação com 13.030 no dia anterior.

Maior número de mortes

A Itália registrou mais mortes em decorrência do novo coronavírus do que qualquer outro país do mundo, e responde por mais de um terço de todas as mortes globais do vírus.

O maior número diário de vítimas da epidemia de cinco semanas na Itália foi registrado na sexta-feira (27), quando 919 pessoas morreram. Houve 889 mortes no sábado e 756 no domingo.