Mundo

"Emagreci quase 20 kg", diz brasileiro deportado dos EUA

Eletricista pretendia se mudar com a família

Eletricista pretendia se mudar com a família

Reprodução / Record TV Minas

O eletricista Giliarde Viana passou 23 dias em solo americano com o filho de 15 anos, mas a temporada não foi como eles haviam planejado. A família brasileira pretendia entrar ilegalmente no país para tentar uma vida melhor, mas acabou presa em um Centro de Imigração no Estado do Texas.

Pai e filho não chegaram a viver o sonho americano e foram mandados de volta ao Brasil, nesta quarta-feira (19). Em solo brasileiro, Viana relata a situação vivida em terras estrangeiras.

— Emagreci quase 20 kg em 23 dias. Tomei soro para não cair. Eles não dão comida pra gente. Não tem horário para comer lá. Dormia no chão.

A família aterrissou no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, na Grande BH, com outras 15 pessoas, nesta tarde. Inicialmente havia a expectativa que 94 deportados chegassem no mesmo voo, que é o quinto a trazer brasileiros que tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos.

O número de imigrantes brasileiros presos tentando cruzar a fronteira pelo México aumentou mais de dez vezes de outubro de 2018 a setembro de 2019, chegando a quase 18 mil pessoas. Até 2006, a deportação não era aceita pelo Brasil. Agora, o governo tem facilitado a vinda de cidadãos que vivem nos Estados Unidos de maneira irregular.

Giliarde Viana, que já fez o caminho de volta, diz que não pretende tentar uma nova aventura.

— O sonho americano para mim acabou.

A reportagem procurou a Embaixada Americana e o Itamaraty para comentar os relatos dos deportados, mas ainda aguarda retorno.