Mundo

Destino de 197 brasileiros em cruzeiro na Europa é incerto

Destino de 197 brasileiros em cruzeiro na Europa é incerto
Paola e Olcimar são de Brasília e estão a bordo do Costa Pacífica

Paola e Olcimar são de Brasília e estão a bordo do Costa Pacífica

Arquivo Pessoal

O Cruzeiro Costa Pacífica, com 197 brasileiros a bordo, segue sem ter onde atracar na Europa e já enfrenta uma mudança na rotina do atendimento e até mesmo racionamento de comida. A viagem tinha como destino a costa da França, Itália e Espanha, mas estes países fecharam as fronteiras e portos por causa do surto do novo coronavírus pelos próximos 30 dias.

O cruzeiro deixou o litoral do Brasil no dia 6 de março. Agora, os passageiros reclamam ainda a falta de informação sobre o fim da viagem.

- Tire suas dúvidas no especial do R7 sobre coronavírus -

A situação é semelhante à de outros 50 brasileiros que estão no navio de cruzeiro Norwegian Jewel na Oceania. O cruzeiro teve o desembarque recusado em dois países depois de partir da Austrália com destino à Polinésia Francesa.

De acordo com Paola e Olcimar, de Brasília, não existe nenhum caso de coronavírus no navio e as pessoas mantém contato normalmente, apesar de algumas normas do funcionamento terem sido modificadas.

De acordo com o passageiro Everson Rodrigues Ribeiro, de São Paulo, a tripulação diminiu o atendimento ao público. Segundo ele, o número de garçons foi reduzido. Ribeiro conta que o navio está no mar entre a Espanha e a Argélia.

Ele conta ainda que não sabe onde irá desembarcar. A organização já passou algumas vezes a informação, mas ela acaba sendo modificada no decorrer da viagem. "Disseram que atracaremos na França e que terá um avião para nos levar [para o Brasil]. Essa foi a última informação que nos passaram", explica.

Operadora não efetuou cancelamento

A passageira Fernanda, de Porto Alegre, conta que comprou o pacote de viagem do cruzeiro em maio de 2019 para presentear a filha, que nunca tinha viajado de navio. Segundo ela, no dia 5 de março deste ano procurou a companhia que vendeu as passagens para cancelar o pacote, já que a Europa sofria com a epidemia do coronavírus.

Fernanda comprou viagem de presente para filha

Fernanda comprou viagem de presente para filha

Arquivo Pessoal

A operadora informou, por sua vez, que a viagem ocorreria normalmente com todas as paradas em portos da Europa e disse ainda que se ela cancelasse, perderia o dinheiro pago. "Então eu comprei passagens, paguei hotéis, estava tudo combinado", explica.

No dia 6, o navio saiu da cidade do Rio de Janeiro, e passou pelos portos de Salvador e Maceió.

Racionamento de comida no navio

Ela conta que só foram avisados que os portos da Europa estavam fechados depois que eles deixaram a costa brasileira. Ela questiona por que a companhia saiu mesmo sabendo da situação. "Agora estamos confinados sem saber o que vai ser", lamenta.

"Antes eu podia me servir no buffet e agora eu não posso me servir, o garçom só coloca a quantidade que ele quer", destaca. De acordo com a passageira, eles já não estão mais distribuindo frutas. Para ela, o problema também está na falta de comunicação, "só dão informações pelo microfone".

Ela explica que a única informação que possuem é que alguns passageiros irão desembarcar em Marselha, na Espanha e outros em Genova, na Itália. Contudo, não informaram quais passageiros irão desembarcar em qual lugar, "isso está gerando muita insegurança aqui dentro".