Mundo

Caso George Floyd nos EUA | Trump usou igreja e Bíblia de forma 'profundamente ofensiva', diz bispa

Caso George Floyd nos EUA | Trump usou igreja e Bíblia de forma 'profundamente ofensiva', diz bispa

A bispa Mariann Budde, uma das reverendas que cuidam da igreja St. John's, localizada na Praça Lafayette, perto da Casa Branca, disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, usou a igreja e a bíblia de maneira ofensiva ao posar para fotos enquanto policiais dispersavam manifestantes com bombas e gás lacrimogêneo na tarde de ontem.

"Ele (o ato de Trump de posar para fotos) foi precedido por uma limpeza violenta de manifestantes pacíficos. E ele (Trump) estava usando nossa igreja como pano de fundo e a bíblia como suporte, de maneiras que eu achei profundamente ofensivas", disse a reverenda para a emissora de televisão MSNBC.

A polícia e a Guarda Nacional fizeram uso das bombas para afastar os manifestantes da Praça Lafayette e de suas ruas ao redor, permitindo um caminho livre para o presidente atravessar a rua até a igreja St. John's.

Mariann contou que soube da visita à igreja pela TV. Ontem, o reverendo Robert Fisher disse que a presença de Trump foi algo surreal.

Em outra entrevista para a CNN, a bispa disse estar indignada com a postura do presidente norte-americano e afirmou que a diocese apoia a busca pela justiça na morte de George Floyd.

"O presidente não orou quando chegou a St. John's... nem reconheceu a agonia de nosso país agora, e em particular a das pessoas de cor de nossa nação", contou.

"Só quero que o mundo saiba que nós, na diocese de Washington, nos distanciamos da linguagem incendiária deste presidente", afirmou. A morte de Floyd vem causando uma série de protestos pelos EUA há mais de uma semana. Floyd foi filmado sendo asfixiado por um policial branco, enquanto afirmava que não conseguia respirar.