Mundo

Cancelamento do 'Maior São João do Mundo' cabe à Prefeitura de Campina Grande, diz ministro

Cancelamento do 'Maior São João do Mundo' cabe à Prefeitura de Campina Grande, diz ministro

O ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio, voltou a dizer que as decisões sobre o adiamento ou cancelamento das festas juninas cabe às prefeituras e aos governos estaduais, mas sugeriu que essas decisões devem ser baseadas nas recomendações do Ministério da Saúde, que orienta o isolamento social contra o avanço do coronavírus no país. Ele falou sobre o assunto ao ser questionado, nesta quinta-feira (02), sobre a deliberação da Prefeitura de Campina Grande, que resolveu adiar a festa para o mês de outubro.

Em coletiva à imprensa ao lado do ministro Luiz Henrique Mandetta, da saúde, ele recomendou que as prefeituras sigam as recomendações do Governo Federal e prometeu que as medidas econômicas anunciadas pelo Ministério da Economia devem alcançar empresas e cidades afetadas com o adiamento ou cancelamento dessas festas.

Ao ser questionado sobre o adiamento determinado pelo prefeito Romero Rodrigues, Marcelo Álvaro Antônio reforçou que as decisões finais sobre o adiamento ou cancelamento das festas cabem aos gestores municipais, mas sugeriu que as orientações do Ministério da Saúde, sobre a restrição de aglomerações, devem ser levadas em conta.

“A questão de adiamento de festas, isso aí é uma decisão do prefeito, que eu aconselho que seja balizada nas orientações do Ministério da Saúde. As ações por parte do Ministério do Turismo são exatamente dar esse suporte junto à economia para a sobrevivência a essas empresas e desses municípios nesse período”, observou.

“Exatamente prevendo os cancelamentos de eventos, os cancelamentos de pacotes turísticos, tudo aquilo que envolve a cadeia produtiva de turismo, é que foi elaborado um pacote econômico para dar sustentabilidade a esse setor, até que a gente consiga vencer esse período”, completou o ministro.

Apesar de mencionar as medidas econômicas do Governo Federal, Marcelo Álvaro Antônio não especificou quais medidas beneficiariam diretamente as cidades e as empresas afetadas pelo cancelamento ou adiamento das festas juninas.

Pedido do Ministério Público

Apontando não haver parâmetros para a realização da festa em outubro e apontando para a coincidência com o calendário eleitoral, o Ministério Público de Contas da Paraíba ingressou com um pedido de medida cautelar para que a prefeitura de Campina Grande suspenda a realização do São João em 2020. A representação foi encaminhada ao Ministério Público da Paraíba (MPPB) e ao Ministério Público Eleitoral (MPPB).