Mundo

Buteyko: por que algumas pessoas estão dormindo com fita adesiva sobre a boca

Buteyko: por que algumas pessoas estão dormindo com fita adesiva sobre a boca

Técnica desenvolvida nos anos 1950 por médico soviético supostamente ajuda a melhorar problemas respiratórios, mas especialistas ouvidos pela BBC dizem não haver evidências científicas destes benefícios

Fita adesiva para dormir

  • BBC NEWS BRASIL
    • por

      "É engraçado se você pensar sobre isso. Aprendemos sobre um monte de coisas que não fazemos, mas não aprendemos sobre algo que fazemos o tempo todo: respirar."

      Andien, uma popular cantora da Indonésia, chocou seus fãs ao fazer uma longa postagem no Instagram sobre respiração, junto com fotos de si mesma, seu marido e seu filho de 2 anos de idade com fita adesiva sobre a boca.

      Ela revelou que sua família praticava algo chamado buteyko nos últimos três meses. Isso envolve encontrar maneiras de respirar pelo nariz - e uma delas é fechar a boca enquanto você dorme.

      Praticar buteyko, disse Andien, a ajudou a dormir melhor, a impediu de ficar com a garganta seca e a livrou do mau hálito.

      Mas tapar a boca com fita adesiva funciona? E é seguro?

      A técnica buteyko foi desenvolvida em 1950 pelo médico soviético de mesmo nome, Konstantin Pavlovich Buteyko (1923-2003).

      Ele acreditava que as condições respiratórias, especialmente a asma, poderiam estar ligadas à forma como respiramos e que, se os pacientes aprendessem a respirar corretamente, pelo nariz, os problemas pulmonares desapareceriam.

      Quase sete décadas mais tarde, a terapia alternativa permanece popular, com praticantes de buteyko ao redor do mundo exaltando os benefícios dos seus exercícios de respiração e de tapar a boca com fita para dormir.

      Ver essa foto no Instagram

      Uma publicação compartilhada por Anaku Askara Biru (@teamkawa) em

      Alega-se que buteyko combate uma série de doenças, de diabetes a fadiga crônica, transtorno de deficit de atenção com hiperatividade e depressão. Mas talvez a condição com a qual esteja mais associada seja a apneia do sono.

      A apneia do sono ocorre quando a via aérea de uma pessoa é bloqueada ou sofre restrições durante o sono, o que significa que ela não consegue respirar com facilidade. Isso gera um sono de baixa qualidade, o que pode levar a cansaço crônico, depressão e outras doenças.

      É também por isso que pacientes roncam. Esse som desagradável é fruto do ar lutando para entrar e sair da traqueia.

      Patrick McKeown, fundador da Clínica Internacional Buteyko, na Irlanda, que oferece capacitação e treinamentos neste método, diz que "a respiração oral é um grande fator para a apneia obstrutiva do sono (OSA, na sigla em inglês)", porque pode empurrar a língua para trás e obstruir as vias aéreas. Tapaz a boca com fita, afirma ele, pode impedir que isso aconteça.

      Mas os médicos discordam e dizem que essa é uma compreensão simplista da condição. "Entendo que seja preferível respirar pelo nariz, mas a maioria das pessoas não abre a boca a não ser que esteja com dificuldade de respirar pelo nariz", diz a otorrinolaringologista Kathleen Yaremchuk, especialista em sono.

      Alguém que sofre de OSA, acrescenta ela, não consegue resolver esse problema "apenas fechando a boca". "Aparelhos intraorais [para OSA] trazem a mandíbula para a frente, o que ajuda com a apneia do sono ao abrir a via aérea."

      O professor Nirmal Kumar, otorrinolaringologista e presidente da organização médica britânica Ear, Nose and Throat UK, que reúne médicos desta especialidade, concorda e diz que "não há evidências convincentes na literatura médica que apóiem esse tratamento [buteyko]".

      Ele acrescenta que fazer qualquer exercício de respiração - de buteyko ou não - geralmente pode melhorar a asma e outros problemas respiratórios, o que pode ser o motivo pelo qual as pessoas acreditam que esta técnica está ajudando. Mas os exercícios de respiração são "parte do tratamento padrão de qualquer maneira".

      Além do fato de que tapar a boca com fita adesiva ser pouco eficaz, ambos os médicos avisam que isso pode ser perigoso. "Se você estiver doente e tiver que vomitar, não será capaz de fazer isso", alerta Yaremchuk. Na pior das hipóteses, isso poderia levar alguém a engasgar.

      Quando se trata de crianças pequenas, McKeown, da clínica de buteyko diz ser totalmente contra o uso da fita adesiva. Ele disse ter visto a foto no Instagram de Andien em que seu filho aparece desta forma e diz isso "não é de forma alguma recomendado" pelos praticantes de buteyko.

      "Com crianças pequenas, o uso da fita pode ocorrer talvez a partir dos cinco anos de idade, mas não a colocamos diretamente sobre os lábios."

      Kumar acrescenta que crianças também podem ter mais dificuldade de respirar pelo nariz, além de ficarem doentes com frequência.

      Ele diz em relação a Andien e seu filho que, com uma criança tão pequena assim, é "a última coisa que aconselhamos, porque existe um perigo significativo de morte no berço".

      Em uma emergência, a maioria dos adultos provavelmente acorda e arranca a fita, mas estas crianças não conseguem fazer isso, acrescenta.

      "Existem problemas nas vias nasais das crianças que podem causar bloqueios", como adenoides ou um simples nariz entupido. Nestes casos, "eles têm de respirar pela boca ou morrerão".

      Se você estiver roncando ou tiver outros problemas respiratórios, os médicos recomendam se consultar com um especialista para ser tratado.

      BBC Brasil - Todos os direitos reservados - É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC