Mundo

Ato pró-armas na Virgínia provoca alerta sobre violência

Ato pró-armas na Virgínia provoca alerta sobre violência

Uma manifestação pró-armas que deve atrair milhares em torno do edifício do Capitólio do Estado norte-americano da Virgínia nesta segunda-feira (20) acendeu o alerta de autoridades para a violência, mas também marca mudanças nas linhas de batalha do debate sobre armas nos Estados Unidos.

Os defensores de regras mais rígidas veem os democratas assumindo o controle da legislatura da Virgínia pela primeira vez em uma geração, em promessas de campanha de acesso mais difícil às armas e oferecendo um modelo para outros Estados tradicionalmente amigos das armas.

Contra eles estão os entusiastas de armas. Eles argumentam que a Virgínia está defendendo seu direito constitucional de portar armas e prometem que o comício desta segunda ajudará os cidadãos a entenderem com que rapidez podem perder a capacidade de portar armas, com base nos vencedores das urnas.

"A eleição da Virgínia em novembro passado foi um indiciamento de armas de fogo", disse Christian Heyne, que lidera os esforços legislativos do grupo de prevenção à violência armada Brady.

"Os candidatos da Virgínia transformaram as coisas quando venceram por causa do problema das armas, não apesar disso. Essa é uma mudança fundamental."

A tensão aumentou às vésperas do ato, depois que o FBI prendeu na semana passada três membros de um pequeno grupo neonazista, as quais, segundo as autoridades, esperavam iniciar uma guerra racial através da violência no encontro, remanescente de um evento de supremacia branca de 2017 em Charlottesville.

Copyright © Thomson Reuters.