Mundo

Argentina se retira de negociações do Mercosul devido a coronavírus

Argentina se retira de negociações do Mercosul devido a coronavírus

A Argentina decidiu se retirar das negociações dos acordos comerciais atuais e futuros do Mercosul, do qual é membro juntamente com Brasil, Paraguai e Uruguai, para se concentrar em sua política interna e responder à crise do novo coronavírus.

Um comunicado emitido pelo Ministério das Relações Exteriores do Paraguai, país que detém a presidência temporária do bloco, tornou oficial na última sexta-feira a decisão do governo argentino.

"A República Argentina informou que adotou esta decisão em resposta às prioridades de sua política econômica interna, agravada pela pandemia da Covid-19, e indicou que não será um obstáculo para que os demais Estados Membros continuem com os diversos processos de negociação", explicou o ministério paraguaio na nota.

A delegação argentina informou a decisão durante a reunião dos Coordenadores Nacionais do Grupo Mercado Comum sobre relações exteriores, realizada nesta hoje por videoconferência.

Manutenção de acordos fechados

O Ministério das Relações Exteriores do Paraguai garantiu que a retirada da Argentina não afetará os acordos já estabelecidos nos últimos meses, especificamente os obtidos com a União Europeia, em junho de 2019, após quase duas décadas de negociação, e com a Associação Europeia de Livre Comércio (Efta).

Entretanto, outras negociações, como as com Cingapura, Canadá, Coréia do Sul e Líbano, serão realizadas na ausência da Argentina, de acordo com a decisão.

O Paraguai e os demais países do Mercosul avaliarão as medidas legais, institucionais e operacionais mais apropriadas para que a retirada da Argentina não afete a integração comunitária.