Mundo

Arábia Saudita corta produção de petróleo pela metade após ataque

Arábia Saudita corta produção de petróleo pela metade após ataque

Estatal anuncia corte de 5,7 milhões de barris de petróleo por dia, mais da metade da produção diária do país, após ataque por drones neste sábado (14)

Arábia Saudita corta produção de petróleo após ataque a refinaria

Fábio Fleury, do R7, com EFE

A Arábia Saudita anunciou o corte de mais da metade de sua produção diária de petróleo, após os na madrugada deste sábado (14). Rebeldes houthis do Iêmen assumiram a autoria do atentado.

A Saudi Aramco, produtora estatal de petróleo do país, afirmou em um comunicado que a redução será de 5,7 milhões de barris de petróleo por dia — no total o país produz 10,3 milhões de barris/dia.

O corte corresponde a cerca de 6% da produção mundial e pode acarretar em grandes aumentos no preço mundial do petróleo. O comunicado da Aramco não especifica por quanto tempo durará esse corte.

O ministro de Energia da Arábia Saudita e filho do rei, o príncipe Abdulaziz bin Salman, afirmou que as reservas do país irão cobrir a produção cortada, pelo menos de início.

Duas das maiores instalações de petróleo da Arábia Saudita foram atacadas e entraram em chamas na madrugada deste sábado. Os rebeldes houthi, do Iêmen, assumiram a autoria do atentado, que eles afirmam ter sido executado com 10 drones.

As refinarias atingidas ficam nos distritos de Khurais e Abqaiq, a cerca de 800 km da fronteira com o Iêmen, que vive uma guerra civil desde 2014. Os houthi, que têm apoio do Irã, lutam contra o governo central que é financiado pela Arábia Saudita e outros países da Liga Árabe.

Abqaiq é a maior refinaria de petróleo do país e Khurais é um dos principais campos de extração do país. Segundo uma fonte ouvida pela agência Reuters, o impacto na produção de petróleo saudita pode chegar a 5 milhões de barris por dia, cerca de metade do total.