Mundo

Alemão critica retratos de soldados do nazismo em hotel e é processado

Alemão critica retratos de soldados do nazismo em hotel e é processado

Homem identificado como Thomas K denunciou imagem de 'vovô nazista' em sites de conteúdo turístico. Proprietário fala em 'expressão difamatória'

Nazismo

Ana Luísa Vieira, do R7

Um homem alemão está sendo processado pelos donos de um hotel quatro estrelas da Áustria por ter criticado o estabelecimento em sites de avaliações e conteúdo turístico. Em dois posts, o alemão revelou que o hotel austríaco ostenta o retrato de um "vovô nazista" no lobby. As informações são do jornal britânico The Guardian.

Segundo o periódico, o homem — que é identificado como Thomas K nos autos do processo — visitou o empreendimento no município de Gerlos, nos Alpes, no último mês de agosto.

Após o check-in, notou duas fotos emolduradas em uma parede, penduradas acima de um arranjo de flores. Uma delas chamou a atenção por retratar um jovem vestindo um uniforme com um distintivo de águia e suástica.

Nos comentários da internet, Thomas K reforçou que ver um nazista sendo homenageado publicamente lhe causou indignação e desgosto.

“Isso nos fez pensar o que os proprietários do hotel estão tentando nos dizer com esta imagem. Este incidente fala muito sobre o estado atual das coisas nesta região da Áustria. Infelizmente, nosso desejo de visitar esta região montanhosa desapareceu completamente.”

Os donos do hotel contataram os dois sites onde Thomas K deixou sua avaliação para que os comentários fossem apagados.

Segundo os proprietários, a expressão “vovô nazista” era difamatória e o homem no retrato se tratava de um de seus parentes, que foi membro do Wehrmacht — ou Força de Defesa, nome do conjunto das forças armadas da Alemanha durante o Terceiro Reich, entre 1935 e 1945.

Um dos portais apagou o comentário de Thomas K, mas o outro se recusou a fazê-lo. Cruzando as informações do post com os registros do hotel, o proprietário chegou até o nome do hóspede alemão e entrou com uma ação contra ele em um tribunal regional.

O advogado do empresário austríaco alega que os retratos foram pendurados no saguão em memória de familiares falecidos, como é habitual em áreas rurais da Áustria.

A foto do parente vestido com o uniforme da Força de Defesa seria a única em posse da família. O advogado ainda acrescentou que o fato de os soldados terem sido recrutados pela Wehrmacht não significa que pudessem ser classificados como nazistas.

Depois de pesquisar a identidade dos dois homens nas fotografias dos Arquivos Nacionais Alemães em Berlim, contudo, Thomas K conseguiu provar que ambos haviam, de fato, se filiado ao partido nazista na década de 1940.

A imprensa local considera incomum que o tribunal tenha concedido ao hotel da Áustria uma liminar contra o hóspede, argumentando que sua revisão implicava que o dono do empreendimento compartilhava ou simpatizava com ideias nazistas.

O interesse do proprietário em proteger sua reputação teve precedência sobre o direito à liberdade de expressão de Thomas K. A previsão é de que o caso seja julgado até o fim do ano.