Geral

Políticos o apoiam | Felipe Neto relata ameaças: 'Já tirei minha mãe do Brasil'

Políticos o apoiam | Felipe Neto relata ameaças: 'Já tirei minha mãe do Brasil'

Felipe Neto cancelou sua participação no Educação 360, evento em que participaria nesta terça-feira (17), após sofrer ameaças contra a sua vida e a da sua família, como diz um comunicado enviado por sua equipe. A palestra aconteceria na Cidade das Artes, complexo cultural localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Em seu Twitter, ele confirmou a notícia: "Infelizmente a notícia é real. As ameaças se intensificaram e estamos montando um documento para dar entrada na polícia. Já tirei minha mãe do Brasil e estou vivendo com o mínimo possível de exposição. Manterei vocês sempre informados".

Em um vídeo compartilhado por Felipe Neto em seu canal, em 2017, ele e o irmão surpreenderam a mãe no Natal ao presenteá-la com uma casa na Europa.

Cancelamento da participação no Educação 360

Ao UOL, a equipe do influenciador digital alega que depois do manifesto "contra a censura, opressão e preconceito" na Bienal do Livro, em que o youtuber distribuiu 14 mil exemplares com a temática LGBTQ, ele teria recebido "todo tipo de ameaça" com o seu posicionamento.

Informa-se que diante desse "risco iminente, que inclusive atinge seus familiares, o influenciador encontrou-se sem outra alternativa a não ser cancelar sua participação".

Leia na íntegra o comunicado enviado pela assessoria de imprensa de Felipe Neto:

"Felipe Neto, por meio de sua assessoria de imprensa, comunica que não participará do evento Educação 360, a ser realizado no próximo dia 17 de setembro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O influenciador digital, escritor e empresário cancelou a sua palestra "Educação e a Criatividade" devido a ameaças que atentam contra a sua vida e de sua família. Desde a ação que promoveu contra a censura, a opressão e o preconceito na Bienal do Livro - onde comprou e distribuiu gratuitamente 14 mil exemplares com a temática LGBTQ - em um movimento em prol da liberdade de expressão, do amor, da inclusão e da diversidade, Felipe Neto vem recebendo todo tipo de ameaças. Diante do atual cenário e do risco iminente, que inclusive atinge aos seus familiares, o influenciador encontrou-se sem outra alternativa a não ser cancelar a sua participação. "Lamento profundamente a minha ausência no evento, minhas sinceras desculpas a organização, que me convidou, e a todos que aguardavam pela minha participação e pela minha palestra. É estarrecedor que no Brasil, em 2019, um indivíduo seja impossibilitado de se manifestar e lutar contra qualquer tipo de censura e opressão sem ser ameaçado. Quero dizer que continuarei lutando, enfrentando o obscurantismo e a opressão, por todos os meios que me cabem, pela defesa do amor e da união até o fim, até onde for possível e até onde minhas forças e meu coração aguentarem".

Repercussão

Felipe Neto recebeu apoio de políticos e de personalidades como Paulo Coelho. O escritor publicou um texto que fez o influenciador se emocionar e ainda o convidou para ir para Genebra, cidade suíça que descreve como "super vigiada".

"Ele poderia ser nosso filho. Nosso Felipe. Nosso Neto. Está contra a censura, a intolerância e a barbárie. Está do lado da diversidade, da liberdade de expressão e da literatura. Está do nosso lado. E nós estamos com ele", publicou Paulo Coelho no Twitter. Felipe compartilhou a mensagem com a seguinte frase: "Chorei e é verdade".

"Não brinca com milicianos. Está fazendo o certo, mas realmente não se exponha. Qualquer coisa pode vir até aqui - Genebra é super vigiada por causa dos muitos corpos diplomáticos. Se precisar, me acione por DM", escreveu Paulo Coelho em resposta ao youtuber no Twitter.

A reação de Felipe foi bem-humorada, e não é possível saber se ele estava falando sério ou não: "Querido, você não faça ofertas assim que amanhã eu tô batendo na sua porta", disse Felipe Neto, que comprou 14 mil livros com temática LGBT para distribuir gratuitamente na Bienal do Rio.

Dentre os políticos que manifestaram apoio ao empresário hoje, destacam-se alguns nomes de esquerda. Manuela D'Ávila (PCdoB), candidata à vice-presidência da República pela chapa do PT em 2018, publicou o seguinte: "Querido Felipe, recebe meu abraço solidário. Venceremos o ódio".

A deputada federal Maria do Rosario (PT-RS) também falou. "Nosso apoio e solidariedade, Felipe Neto. Tempos sombrios para aqueles e aquelas que se posicionam pelo correto. O Brasil foi intoxicado por atos e palavras sombrias. Seguiremos resistindo ao ódio e à intolerância. Vai passar!", escreveu, em sintonia com o também petista Humberto Costa.