Geral

Tecnologia | Batalha de gigantes: por que LG e Samsung brigam pela TV com '8K real'

Tecnologia | Batalha de gigantes: por que LG e Samsung brigam pela TV com '8K real'

O 8K se popularizou de vez pela CES 2020 (Consumer Electronics Show). Se há dois anos ele era raro e no ano passado apareceu com mais força, agora ele é figurinha carimbada em todas as fabricantes de TVs na feira. E, ao mesmo tempo, foi dada a largada para a batalha na indústria.

Samsung e LG, as maiores fabricantes de TVs do mundo, são as expoentes dessa guerra para convencer o consumidor que seu 8K é melhor do que o do vizinho. E, em meio a isso, o consumidor pode ficar confuso com selos diferentes e sem entender nada.

Isso porque cada uma, obviamente, vai falar que sua televisão é melhor do que a da concorrência. A guerra da Coreia do Sul tende a se espalhar pelo restante do mundo nos próximos anos, enquanto os modelos de televisão com essa tecnologia, que entrega quatro vezes mais detalhes que a 4K, começam a se popularizar.

A briga, por sinal, é parecida com a que já rolava por aí com o 4K. A Samsung, por exemplo, fez por anos o seu marketing de que seus modelos tinham "4K de verdade".

LG é a primeira a obter selo da CTA

Na CES 2020, a LG saiu na frente ao ser a primeira a obter um selo da organização norte-americana CTA (Consumer Technology Association, que organiza a CES), atestando a qualidade de sua televisão 8K. Por enquanto, ela é a única a poder exibir o tal selo para vender os televisores —por isso, passou a chamar seus produtos de "8K real".

Mas o que significa esse selo? Significa, na prática, que o aparelho passou em testes e foi o primeiro a exceder parâmetros específicos da CTA, que segue especificações de um comitê internacional de tela. Esses parâmetros envolvem não apenas resolução, como outros aspectos como HDR, profundidade de bit, upscaling (melhoramento) de imagem e outros.

Tudo muito confuso e técnico para o consumidor. O que a LG quer que você saiba é que ela foi a primeira a ter o tal selo, seja lá o que isso signifique. Ponto. Segundo a marca, o selo protege consumidores de televisores que têm a contagem correta de pixels, mas não conta com outras tecnologias associadas ao 8K.

"Para o consumidor é muito técnico isso. É uma normativa que exige mais do que resolução de imagem, envolve aspectos como modulação, contraste. O que vale é a comparação. Quando ele ver nossa TV e a de outros, vai ver a diferença, ter Oled na 8K é diferencial", defende Igor Krauninski, gerente de produtos de TV da LG do Brasil.

Os selos obtidos pela LG valem tanto para as TVs NanoCell quanto as Oled de 8K. Todos os novos modelos já virão com essa chancela.

TV 8K da Samsung exibida na feira CES 2020, em Las Vegas - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
TV 8K da Samsung exibida na feira CES 2020, em Las Vegas
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Samsung aposta em associação

Se a LG foi atrás do selo da CTA, a Samsung escolheu na batalha fazer uma parceria com uma "Associação 8K" que também lançará um selo para ser colocado nas propagandas dos produtos —as TVs Qled da marca já contarão com o logo.

Essa associação conta com a Samsung como um dos membros fundadores e outros representantes da indústria. O programa do selo também quer distinguir televisores testando recursos como a resolução de tela, brilho, transmissão de imagem em HDMI e codec do vídeo.

"É a mesma coisa da época do 4K, a indústria ficou batendo um pouco no começo, normal ser assim. Dentro da 8K Association tem uma série de parâmetros. É uma coisa desse momento de tecnologia nova, cada um vai ter alguns parâmetros", aponta Guilherme Campos, gerente de produtos de TV da Samsung.

A Samsung é a maior fabricante de TVs do mundo e renovou completamente a linha 8K de 2020. A marca já adiantou que todos os modelos da linha principal devem chegar ao Brasil, alguns deles ainda no primeiro semestre.

Selo 8K da LG exibido na feira CES 2020, em Las Vegas - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Selo 8K da LG exibido na feira CES 2020, em Las Vegas
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Selo 8K da Samsung exibido na feira CES 2020, em Las Vegas - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL
Selo 8K da Samsung exibido na feira CES 2020, em Las Vegas
Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

E o consumidor?

Enquanto as marcas brigam, o consumidor pode ficar que nem barata tonta sem saber em qual exatamente confiar sobre o "8K real". Se por um lado a CTA pode passar mais confiança pela independência, por outro a Samsung diz ter feito uma série de testes também.

Na prática, isso serve basicamente para o marketing das duas fabricantes. No fim das contas, o usuário consegue diferenciar uma televisão desse tipo mesmo visualizando ambas pessoalmente —apesar de cada uma ter seus pontos fortes e fracos.

O 8K, por enquanto, sequer é uma tecnologia ultranecessária para você. Apesar de mais conteúdos estarem sendo filmados nessa resolução e das TVs melhorarem as imagens recebidas para 8K automaticamente, ele ainda não chegou no ponto pleno que faça valer a pena.

Não se sabe, sequer, se a Olimpíada do Japão será transmitida em 8K. Os Jogos terão captação nessa resolução, mas como existem dificuldades técnicas como a distância do sinal, ainda não é certo que seja levado ao Brasil.

Em 2018, a Samsung fez parcerias para transmitir ao vivo a Copa do Mundo em 4K. Só tinha o detalhe de que a transmissão chegava um pouquinho atrasada e o vizinho poderia gritar gol antes. Será que o 8K vai aumentar isso?

De qualquer forma, a tecnologia já é uma realidade. Além de Samsung e LG, Sony e TCL apresentaram seus novos televisores com a resolução nova.

* O repórter viajou a convite da LG

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS