Geral

Segurança pública em xeque | Sob motim, Exército vai ao Ceará: 'Missão é estabelecer ambiente estável'

Segurança pública em xeque | Sob motim, Exército vai ao Ceará: 'Missão é estabelecer ambiente estável'

Após assumir parte do patrulhamentos das ruas de Fortaleza e da região metropolitana, devido à crise na segurança pública enfrentada pelo estado do Ceará, o Exército admitiu a gravidade da situação e afirmou que tem como missão "estabelecer ambiente estável e seguro".

A tropa com 2500 homens deve permanecer no estado entre os dias 20 e 28 de fevereiro. Reforços serão enviados de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte ainda hoje.

Esse esforço tem por finalidade a preservação da ordem pública e a incolumidade das pessoas e do patrimônio, contribuindo para o restabelecimento das condições de normalidade no Estado do Ceará, com foco no município de Fortaleza", diz trecho do comunicado.

"A missão inclui estabelecer um ambiente estável e seguro, por meio de operações de Garantia da Lei e da Ordem, compreendendo atividades de patrulhamento ostensivo, com revista de veículos e pessoas, utilizando as medidas necessárias para a operação", completa.

O Ceará vive mais uma crise na segurança pública após policiais e bombeiros militares se amotinarem em pelo menos dois quartéis, rejeitando a proposta do governo estadual de reajuste salarial.

Nesta sexta-feira, homens encapuzados fecharam a base na Ciopaer (Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas) e o BPRaio (Batalhão de Ronda e Ações Intensivas e Ostensivas) em Sobral (270 km de Fortaleza), cidade onde o senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado.