Geral

Rock in Rio | Scorpions encerra noite do metal com revival e menção à Amazônia

Rock in Rio | Scorpions encerra noite do metal com revival e menção à Amazônia

A banda Scorpions encerrou a quinta noite do Rock in Rio com um show cheio de menções ao Brasil e à primeira edição do festival, em 1985. A apresentação foi um verdadeiro revival no fim do "dia do metal", que ficou ausente do calendário do evento em 2017 e retornou este ano com estilo. O grupo alemão se apresentou no palco Mundo logo depois do Iron Maiden, que preferiu não tocar por último desta vez.

No clima de lembranças, Matthias Jabs tocou com a mesma guitarra verde estampada com bandeiras brasileiras com a qual se apresentou no festival há quase 35 anos, guardada pelo presidente do Rock in Rio, Roberto Medina.

As referências ao Brasil apareceram logo de cara. Rudolf Schenker entrou no palco com uma jaqueta com as frases "Save the Amazon" ("Salve a Amazônia") e "Stop Amazon Destruction" ("Parem a destruição da Amazônia"), repleta de verde e amarelo nas costas, em posicionamento a respeito das polêmicas internacionais recentes sobre as queimadas e desmatamento na região. Também apareceram símbolos nacionais do Brasil no telão durante o show.

Reprodução/Multishow
Imagem: Reprodução/Multishow

O Scorpions abriu a apresentação com "Going Out With a Bang", "Make it Real", e "The Zoo". Levou ao palco um medley de canções dos anos 1970, e ainda deu espaço no setlist a clássicos como "Send Me An Angel", "Wind of Change", "Still Loving You" e "Rock You Like a Hurricane". Houve ainda tempo para uma versão à capela de "Cidade Maravilhosa", hino da capital do Rio de Janeiro.

Este foi o quinto dia de Rock in Rio 2019, e as atrações no palco Mundo foram Sepultura, Helloween, Scorpions e Iron Maiden. No palco Sunset, Nervosa, Torture Squad & Claustrofobia, Anthrax e Slayer agitaram a galera. São 14 horas de shows por dia, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, com nove palcos e espaços, além da programação nas arenas. O festival vai até domingo, dia 6.