Geral

Pandemia | Brasil tem 389 novas mortes por covid-19 em 24h e chega a 131.663 óbitos

Pandemia | Brasil tem 389 novas mortes por covid-19 em 24h e chega a 131.663 óbitos

O Brasil registrou hoje um acréscimo de 389 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 131.663 mortes pela doença causada pelo novo coronavírus, segundo o consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte. Os números são resultado de um levantamento junto às secretarias estaduais de saúde e consolidados às 20h.

Desde as 20h de ontem, foram registrados 14.294 novos casos. Com os dados de hoje, o país chegou a 4.330.152 infectados.

A média móvel de mortes no Brasil nos últimos sete dias foi de 711, o que representa uma variação de -19% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Mais cedo, o Ministério da Saúde contabilizou, entre ontem e hoje, 415 novas mortes por covid-19, totalizando 131.625 óbitos no Brasil em decorrência do novo coronavírus.

Hoje, segundo o Ministério da Saúde, o total de infectados pela doença no país chegou a 4.330.455, com 14.768 testes positivos registrados nas últimas 24h.

HC investiga casos de reinfecção

O Jornal da USP no Ar recebeu o professor Max Igor Banks, do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas (HC)da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), para tratar sobre os casos de reinfecção pelo novo coronavírus, especificamente aqueles acompanhados por especialistas do HC. A unidade tem um ambulatório exclusivo para investigação desses casos, pelo qual Banks é responsável.

"Como é comum no campo médico", explica Banks, "a necessidade parte dos pacientes: pessoas com suspeita de reinfecção surgiram, uma situação inédita e inusitada, e a partir disso entendemos que era necessária a criação de um espaço para a análise desses casos". Desde meados do mês de agosto, uma unidade com espaço de tempo e equipe está dedicada à avaliação desses casos. Os 16 pacientes que vêm sendo acompanhados são pessoas que tiveram sintomas de covid-19 em meses anteriores, testaram positivo, "o RT-PCR positivo", como explica Banks, "ficaram bem e, depois de um tempo, voltaram a ficar doentes, com outro teste positivo para covid-19".

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes recentes de autoridades e do próprio presidente colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.