Geral

Página Cinco | Carnificina e mais: três HQs que valem sua grana

Página Cinco | Carnificina e mais: três HQs que valem sua grana

"Três Buracos", de Shiko (Mino) – Sou fã dos traços de Shiko desde que li "Lavagem", graphic novel que lançou em 2015. Em "Três Buracos" o quadrinista volta a alguns de seus temas: o horror em regiões afastadas dos grandes centros, os problemas sociais que influenciam radicalmente na trajetória dos personagens (estes muitas vezes envoltos em dilemas morais), a morte com doses generosas de violência… Os três buracos mencionados no título são o garimpo, o prostíbulo e o cemitério que ajudam a delinear os acontecimentos da história, o que já dá uma ideia do que o leitor encontrará pela frente.

"O Homem Sem Talento", de Yoshiharu Tsuge (Veneta), tradução de Esther Sumi – Mangá clássico há pouco publicado por aqui, o ponto de partida de "O Homem Sem Talento" é quase um clichê: um quadrinista talentoso que se recusa a abrir mão da autoria e aceitar as regras da indústria editorial. Os caminhos que toma para tentar sustentar a família, no entanto, são bastante peculiares: primeiro vira um garimpeiro de pedras potencialmente raras aos olhos de colecionadores. Depois, aposta no mercado de máquinas fotográficas de segunda mão. O título do livro indica os sucessivos fracassos do protagonista, numa sensível HQ que toca em assuntos como o convívio com frustrações e a miséria em certas regiões do Japão.

"Apanhadores de Sapos", de Jeff Lemire (Mino), tradução de Jéssica Groke e Pedro Cobiaco – O canadense Jeff Lemire virou figura fácil nas prateleiras de HQs pelo Brasil. Com frequência aparecem novidades do cara por aqui. Ele assina alguns gibis com uma cara mais farofa, mas também tem um trabalho com pegada bastante autoral. Se encaixam nessa segunda linha, a que prefiro, livros como "Condado de Essex" e "O Soldador Subaquático". Em "Apanhadores de Sapos", ele volta a temas explorados no "Soldador": memória, envelhecimento, relação entre pai e filho… É um conto emocionante para ser lido numa sentada só. Preste atenção na maneira como as cores são utilizadas.

Você pode me acompanhar também pelas redes sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube e Spotify.