Geral

Nos Estados Unidos | Nome de rua perto da Casa Branca vira 'Black Lives Matter'

Nos Estados Unidos | Nome de rua perto da Casa Branca vira 'Black Lives Matter'

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, renomeou hoje uma rua em frente à Casa Branca como "Black Lives Matter Plaza" (Praça "Vidas Negras Importam"), e o local teve a frase pintada em enormes letras amarelas na pista, em uma aparente resposta à reação do presidente Donald Trump aos protestos nos Estados Unidos contra a violência policial.

"A seção da 16ª rua em frente à Casa Branca é agora, oficialmente, 'Black Lives Matter Plaza'", anunciou Bowser em uma rede social, onde também compartilhou um vídeo do momento em que a nova placa foi instalada.

A prefeita ainda tuitou imagens da pintura da rua em um trecho da 16ª rua, na capital dos EUA, com uma mensagem para Breonna Taylor, uma mulher negra morta pela polícia de Louisville, em Kentucky, cuja morte que tem inspirado protestos em todo o país junto com o caso de George Floyd, um homem negro que morreu sob custódia da polícia de Mineápolis.

"Breonna Taylor, no seu aniversário, vamos ficar juntas com determinação", escreveu Bowser. "Determinação de fazer da América a terra que deveria ser."

Bowser e Trump travam uma disputa devido ao uso que o presidente fez das agências federais de segurança e da Polícia do Exército para interromper um protesto na noite de segunda-feira (1º), para que ele pudesse posar para fotos em frente a uma igreja nas proximidades da Casa Branca.

"Queremos tropas para fora do Estado, fora de Washington, DC", disse Bowser ontem, durante uma entrevista coletiva.

Uma autoridade dos EUA disse hoje que o Pentágono iria retirar os 900 soldados remanescentes que haviam sido enviados para Washington, região que responde a potenciais distúrbios civis.

Trump usou sua mídia social favorita, o Twitter, para dar uma resposta dura a Bowser.

"A incompetente prefeita de Washington, DC, @MayorBowser, cujo orçamento está totalmente fora de controle e está constantemente recorrendo a nós para receber 'ajuda', agora está lutando com a Guarda Nacional, que a salvou de uma grande vergonha nas últimas noites. Se ela não tratar bem esses homens e mulheres, então nós iremos introduzir um grupo diferente de homens e mulheres!", escreveu.