Geral

MANTER-SE DE CABECA ERGUIDA – Por Rui Leitão

MANTER-SE DE CABECA ERGUIDA – Por Rui Leitão

A forma mais correta de ser feliz é andar sempre de cabeça erguida. É assim que se constrói o presente, olhando para o futuro. Quem se mantém sempre de cabeça erguida, a despeito de fracassos, dificuldades, medos circunstanciais, consegue ganhar o respeito dos outros. Mostra-se ser alguém que não se abate com qualquer coisa, portanto, apresenta-se como uma pessoa que luta sem jamais desanimar, que persiste na busca da realização dos seus sonhos mesmo que se obrigue a tirar muitas pedras do caminho.

Há quem julgue a postura da cabeça erguida, como comportamento de orgulho, vaidade, empáfia. Essa é uma interpretação equivocada. Não confundir “cabeça erguida” com “nariz empinado”. Podemos caminhar de cabeça erguida, sem sentir-se especial, diferente, único. Até porque as lutas, quaisquer que sejam elas, devem ser enfrentadas num espírito de solidariedade. Sozinho não se avança positivamente. Mas é necessário que se revele a capacidade de perseverar, conduzir-se na vida com ânimo e coragem. Respeitando a si mesmo, para poder conquistar o respeito dos outros. Isso é seguir em frente de cabeça erguida.

Baixar a cabeça para as injustiças que presencia ou para os poderosos que intimidam, é próprio dos covardes. Quem acredita em pessoas dominadas pelo temor, fracas de personalidade, indecisas, hesitantes? A cabeça erguida reflete intrepidez, ousadia, força diante de situações perigosas e difíceis.

Por isso, me esforço para que nada me faça perder a consciência de que devo percorrer a estrada da vida de cabeça erguida. Sem lamúrias, sem queixas que me coloquem em estado de sofrimento, sem inquietações ou ansiedades que prejudiquem meu emocional. Acredito piamente que esta é fórmula do bem viver.