Geral

Justiça dos EUA | Produtora pornô tem vídeos excluídos após acusação de tráfico sexual

Justiça dos EUA | Produtora pornô tem vídeos excluídos após acusação de tráfico sexual

O Pornhub, um dos maiores sites de pornografia no mundo, exclui a página de uma produtora de vídeos acusada de coagir cerca de 20 de mulheres a participarem de filmes pornográficos. Funcionários da "Girls do Porn" (Garotas fazem pornô, em tradução livre) foram acusados de tráfico sexual pelas autoridades americanas.

Desde agosto, a imprensa norte-americana divulgou a notícia de que 22 mulheres prestaram queixa por fraude, danos emocionais e de coagi-las a atuar em filmes eróticos e mentir sobre a distribuição das produções. Segundo as acusações, os produtores diziam que os vídeos não seriam publicados na internet e pagavam viagens e quartos de hotel para as filmagens.

O processo acendeu um alerta na indústria pornográfica norte-americana, que há anos tem tentado criar ambientes menos tóxicos às profissionais do conteúdo adulto. O ápice da discussão foi o documentário "Hot Girls Wanted", no qual mulheres relatam pressão psicológica para continuar no ramo.

Segundo depoimento às autoridades norte-americanas, as mulheres que aparecem nos vídeos sofreram ao serem expostas sem permissão a familiares.

Apesar das investigações terem sido abertas em setembro, as imagens da produtora estavam disponíveis online no Pornhub até esta segunda (15). De acordo com comunicado à imprensa, a remoção segue um pedido da Justiça norte-americana.