Geral

Empresário é condenado a 68 anos de prisão por mandar matar sócio e esposa no dia do casamento

Empresário é condenado a 68 anos de prisão por mandar matar sócio e esposa no dia do casamento

Foi condenado a 68 anos de prisão o empresário Nelsivan Marques de Carvalho, acusado de mandar matar Washington Luiz Alves de Menezes, seu sócio, e a esposa dele, Lúcia Santana Pereira, que também era os padrinhos de seu casamento em Campina Grande. O crime aconteceu no dia 29 de março de 2014 na saída da festa de casamento do acusado, quando o casal foi executado a tiros. O motivo seria uma dívida de R$ 81 mil.

A decisão do 2º Tribunal do Júri foi anunciada pelo juiz Horácio Ferreira de Melo, na noite desta segunda-feira, 9, no Fórum Afonso Campos, em Campina Grande.

A defesa de Nelsivan foi feita pelo advogado Luciano Pires, que alegou não haver provas do envolvimento de seu cliente no duplo homicídio. Segundo ele, só especulações ligavam o empresário aos homicídios.

Conforme a denúncia do Ministério Público, seis pessoas estão envolvidas no crime, sendo que três delas já foral julgadas: Franciclécio de Fárias Rodrigues, condenado a 54 anos e seis meses de reclusão em regime inicialmente fechado; Samuel Alves da Silva, condenado a 42 anos de reclusão; e Gilmar Barreto da Silva, condenado a 37 anos e quatro meses de prisão.

Nelsivan seria o mentor do crime, já que queria o controle total da faculdade em que era sócio com o casal.

Segundo o MP, Nelsivan teve a ajuda de Franciclécio para planejar o duplo homicídio, já que este, suspeito de agiotagem, teria emprestado a quantia de R$ 81 mil a Washington para a compra de uma caminhoneta e esta dívida não teria sido paga pela vítima.

Franciclécio, ainda segundo a denúncia do MP, foi quem contratou os executores do casal.

Os crimes foram executados por Samuel, que, na época, confessou ter atirado nas vítimas em depoimento à Polícia Civil.