Geral

Disputa em sindicato | 'Não sou racista', diz Paulo Betti sobre ação de Milton Gonçalves

Disputa em sindicato | 'Não sou racista', diz Paulo Betti sobre ação de Milton Gonçalves

Paulo Betti rebateu a acusação de racismo, mas optou por não comentar a interpelação judicial movida pelo ator Milton Gonçalves contra ele, revelada hoje pelo jornal "Folha de S. Paulo". A ação está na 33ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

Betti faz parte de uma chapa que disputa com Gonçalves e o também ator Jorge Coutinho a diretoria do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (SATED). Atualmente, os dois ocupam a presidência e diretoria-geral do sindicato.

Segundo os autos, a que o jornal teve acesso, em abril, Betti teria publicado a seguinte mensagem em um grupo de WhatsApp: "a atual diretoria do sindicato está lá há muito tempo e tem uma forte representação negra com Jorge Coutinho e o grande Milton Gonçalves, além do querido Cosme. Isso complica bastante a luta, pois pode confundir as coisas."

A ação diz que a fala do ator de "Órfãos da Terra" acarreta interpretação "imprópria e infeliz" e faz "distinção entre negros e brancos".

"É uma acusação muito grave. Eu não sou racista. Pelo menos até onde eu saiba, a minha história não diz isso, eu nunca me considerei", disse ele ao UOL, por telefone. "Mas prefiro responder primeiro à interpelação", completou o ator.

Denominada "Renovação e Transparência", a chapa criada por Betti para fazer frente a Milton Gonçalves é composta por Tonico Ferreira, Zezé Polessa e Júlia Lemmertz. Um dos lemas da chapa é: "O SATED é dos artistas e técnicos. O SATED não pertence à diretoria."

As eleições para a presidência do SATED devem ocorrer nos dias 29 e 30 e 1º de julho. Em plena campanha, Betti divulgou recentemente em seu perfil no Facebook um vídeo com apoio de diversos artistas: