Geral

Anunciada pelo BC | Entidades pedem que nota de R$ 200 não seja criada por facilitar corrupção

Anunciada pelo BC | Entidades pedem que nota de R$ 200 não seja criada por facilitar corrupção

Dez entidades assinaram um manifesto, na tarde de hoje, pedindo que o Banco Central revise a adoção da cédula de R$ 200. Segundo as organizações, a criação da nota vai beneficiar apenas atividades criminosas, incluindo a corrupção. O grupo também pede o fim da nota de R$ 100.

"A criação da nota de R$ 200, portanto, beneficiará indivíduos e organizações criminosas que movimentam grandes quantidades de dinheiro ilícito, diminuindo significativamente, portanto, a probabilidade de detecção de transações financeiras envolvidas em atividades como corrupção e crimes do colarinho branco, além de tráfico de drogas, tráfico de armas, contrabando, terrorismo, entre outras", diz trecho do manifesto.

Ao longo do texto, o grupo apresenta pesquisas e levantamentos a respeito da relação entre a população brasileira e o dinheiro em papel. Um dos relatórios destacados — "O brasileiro e sua relação com o dinheiro" —, feito pelo Banco Central em 2018, aponta que 85% dos brasileiros portam menos do que R$ 100 em dinheiro vivo.

Ainda, uma pesquisa conduzida pelo Plano CDE, entre 30 e 31 de julho, aponta que 60% dos entrevistados preferem notas menores que R$ 200 para saques, enquanto 76% acreditam que a nova cédula pode dificultar o troco. O levantamento entrevistou 1.000 pessoas, em 26 estados brasileiros, e tem margem de erro de 3,1%, com intervalo de confiança de 95%.

Assinam o manifesto as seguintes entidades: Transparência Partidária; Instituto Não Aceito Corrupção; Conacate (Confederação Nacional das Carreiras e Atividades Típicas de Estado); Observatório Social do Brasil; Instituto Compliance Brasil; Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social; Associação Nacional do Ministério Público de Contas; Associação Paulista de Imprensa; MPD (Movimento do Ministério Público Democrático); Transparência Brasil.

"Também repudiam a forma açodada, pouco transparente e pouco participativa que marcou a o respectivo processo decisório e reiteram o pleito
apresentado em junho de 2019 para que se promovam as adequações regulamentares e logísticas necessárias para gradual extinção da nota R$ 100 reais, dado o potencial de impacto positivo da medida para o combate ao crime", acrescentaram, pedindo também o fim da cédula de R$ 100.