Geral

Advogado de pastor preso por tentativa de homicídio nega acusação: 'não passou de lesões corporais leves'

Advogado de pastor preso por tentativa de homicídio nega acusação: 'não passou de lesões corporais leves'

Martsung Alencar, advogado do Pastor Luiz Eduardo Gusmão, preso acusado de tentar matar Geandro de Farias Ferreira, de 32 anos durante uma discussão na cidade de Mari, Zona da Mata da Paraíba. Alegou que a acusação contra seu cliente é falsa, ele explica que o Geandro “dirigiu-se à fazenda residência do pastor, e lá chegando passou a agredir, primeiro com palavras, depois com agressões físicas, o filho do pastor.”

O advogado destaca que o pastor Luis Eduardo, apenas interveio afim de separar a briga o que “não passou de lesões corporais leves, havidas durante ofensas e agressões recíprocas, entre Sr. Geandro e o filho do pastor.”

Leia a nota do advogado na integra

Acusação falsa em desfavor do Pastor Luiz Eduardo Gusmão, afirmando que o pastor teria sido preso, acusado de tentativa de homicídio. TUDO INVERÍDICO!

Na VERDADE, o que ocorreu foi que o sr. Geando, apontado na noticia como vítima, dirigiu-se à fazenda residência do pastor, e lá chegando passou a agredir, primeiro com palavras, depois com agressões físicas, o filho do pastor, Sr. Lucas de Sá Gusmão, em plena casa de seus pais.

Nessa situação extrema, o pai, pastor Luis Eduardo, interveio, com a urgência que a situação exigiu, unicamente “separando” a briga física e cessando as agressões contra seu filho, que se encontrava em casa, em paz, trabalhando, quando tal agressão se perpetrou.

O caso não passou de LESÕES CORPORAIS LEVES, havidas durante ofensas e agressões recíprocas, entre o referido Sr. Geandro e o filho do pastor.

NINGUÉM FOI PRESO, NEM MUITO MENOS FUGIU OU FOI PROCESSADO POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO. O fato foi levado, de imediato, à polícia, pelo próprio pastor, e seu filho, que inclusive registrou BO pelas agressões que sofreu.

Nesse ato, enviam-se a esse canal de comunicação Boletim de Ocorrência Policial (BO), relato do fato em termo circunstanciado de ocorrência (TCO), lavrado pela polícia (e que não contém nenhum teor de tentativa de homicídio, fuga ou prisão, de ninguém) laudo de exame, feito pelo IML, no Sr. Geandro Farias, indicando a natureza da lesão ocorrida (lesão corporal leve), tudo deixando clara a distância entre o relato inicialmente publicado, inverídico e ofensivo, e a realidade!

A FAKE NEWS já está sendo apurada, e será objeto de responsabilização civil e criminal, dos autores e responsáveis, pois além de conter graves e inverídicas ofensas à honra, também configura os crimes de calúnia, injúria e difamação.