Esportes

Tite se inspira em Telê para igualar Deschamps e define o melhor de Neymar

Tite deu uma grande entrevista à France Futebol. Falou com o repórter Patrick Ubini e surpreendeu (pelo menos a mim) ao dizer qual é sua inspiração no futebol. A seleção de 82, criticada por muitos pela falta de equilíbrio, algo tão presente no trabalho de Tite.

"A criatividade de Falcão, Sócrates, Cerezo e Xico era fascinante. A seleção e Telê foram injustiçados. Era um time equilibrado, criativo, mas também consistente e competitivo", afirmou o treinador..

Ele falou da importância de um trabalho contínuo. Lembrou que assumiu a seleção em sexto lugar nas Eliminatórias e que um ano e meio depois, o Brasil estava entre os cinco melhores times do mundo.

E citou o trabalho de Deschamps como exemplo. "Em 2014, seu time foi eliminado nas quartas, após um grande jogo com a Alemanha. Em 2016, perdeu a Europa em casa para Portugal. Ele manteve a linha de conduta, trocou algumas coisas e dois anos depois, foi campeão do mundo. É a minha ideia: respeitar etapas para a construção de um time e incorporar novos jogadores, como Artur e Paquetá, para ganhar um novo dinamismo."

O treinador brasileiro falou da importância de ser sincero com os jogadores. "Eles respeitam quem os respeita". Contou que chamou Tiago Silva, Marquinhos e Militão ao seu quarto. Informou aos titulares que Militão precisava de tempo de jogo e que atuaria diante de Coreia e Argentina. Tiago e Marquinhos estariam em apenas um jogo.

E Neymar? Tite falou da sua importância. Que ele é uma segurança porque sempre tem uma solução individual, graças ao seu talento, mas que foi importante vencer a Copa América sem ele, para que o grupo percebesse seu valor".

Como tirar o melhor de Neymar? Tite elogia seu trabalho no PSG, em um 4-4-2, com Mbappé e Cavani ou Icardi, mas acredita que seu melhor posicionamento é aquele dia tempos de Barcelona, vindo da esquerda para o meio. Aí, aparecem, segundo Tite, a leitura de jogo, o reflexo rápido, a execução e a velocidade.

Para falar de Bruno Guimarães, Tite recorreu a Falcão e De Bruyne. Disse que o garoto é capaz de chegar ao ataque e também de recuar para ajudar Casemiro. Elogiou Renan Lodi e confessou sua preocupação com os 37 anos de Daniel Alves, apesar de elogiar sua técnica e personalidade.