Esportes

Time de Belo Horizonte | Cruzeiro não consegue acordo com organizadas e pede reforço policial

Time de Belo Horizonte | Cruzeiro não consegue acordo com organizadas e pede reforço policial

O Cruzeiro tentou chegar a um consenso para evitar novos confrontos entre membros de torcidas organizadas do próprio time. Mas o objetivo do clube não foi atingido e a diretoria irá acionar o Ministério Público a fim de reforçar a segurança em jogos no Mineirão, a começar pela partida desta noite, diante do São Paulo.

A assessoria de imprensa do clube celeste informou que uma reunião foi realizada na manhã de hoje (16). Nela, o Cruzeiro foi representado por um profissional de segurança. Além disso, integrantes das torcidas Máfia Azul e Pavilhão Independente também estiveram presentes, além de membros da Polícia Militar. O intuito do encontro era chegar a um acordo para evitar novas brigas entre as organizadas, como aconteceram recentemente em jogos da equipe celeste no Mineirão. Como as partes não entraram em um consenso, a instituição pediu um reforço para a Polícia Militar e informou que irá acionar o Ministério Público para evitar novos transtornos.

Vale lembrar que as duas torcidas organizadas citadas já tiveram suas atividades suspensas em jogos do Cruzeiro no Mineirão. Por causa dessas recentes brigas entre as facções, ambas foram punidas por 30 dias, ficando proibidas de usarem qualquer tipo de vestimenta, instrumento ou adereço que faça referência à torcida.

Confira abaixo a nota oficial do Cruzeiro:

"O Cruzeiro Esporte Clube informa que, por sua iniciativa e diante dos fatos ocorridos com frequência nas suas últimas partidas no Mineirão, convocou uma reunião que foi realizada na manhã desta quarta-feira. A mesma contou com a participação de integrantes das torcidas Máfia Azul e Pavilhão Independente, além de um representante da segurança do Clube e da Polícia Militar.

Durante o encontro, mostrou-se aos presentes os danos que as recentes confusões têm causado ao estádio, ao Clube e ao público em geral. Além disso, abordou-se em especial a partida diante do São Paulo, tendo em vista o histórico de conflito entre ambas as torcidas. Temas como o Estatuto do Torcedor e a disciplina que o mesmo deve ter no estádio foram colocados em pauta.

Posteriormente, os representantes da Máfia Azul e da Pavilhão Independente tiveram a oportunidade de discutir entre si, sem interferência dos demais, a fim de entraram em consenso. Porém, a Máfia Azul foi contrária e afirmou que não faria acordo.

Diante disso, o Cruzeiro Esporte Clube está preparando uma representação que vai ser feita junto ao Ministério Público, já se precavendo de qualquer incidente que possa vir a acontecer", informou o clube.