Esportes

ONG processa governo e responsáveis pelo transporte de navio de mais de 60 mil ovelhas vivas

Foto: NSPCA

A maior e mais antiga organização de defesa e proteção dos direitos animais, NSPCA, (National Council of Societies for the Prevention of Cruelty to Animals/Conselho Nacional de Sociedades para a Prevenção da Crueldade contra Animais) da África do Sul, confirmou quinta feira última (14) que apresentou acusações criminais contra vários grupos, entre eles o Departamento de Agricultura, que estão envolvidos na terrível exportação de 60 mil ovelhas vivas da África do Sul para o Oriente Médio no mês passado.

Também foram apresentadas acusações de abuso de animais contra o departamento de Reforma Agrária e o Desenvolvimento Rural (DALRRD), o departamentos de Desenvolvimento Rural de Cidade do Cabo e contra os proprietários e capitão do navio Al Shuwaikh e o contra Page Farming Trust.

Conforme relatado anteriormente pela mídia mundial, apesar da indignação global e de uma campanha da NSPCA, o governo da África do Sul ainda assim aprovou a exportação dos animais.

Foto: World Animal News/Reprodução
Foto: World Animal News/Reprodução

“Muitos animais não sobreviverão à jornada; as mortes acumuladas nas frotas de Al Mawashi, de 1980 até o primeiro semestre de 2017, somam mais de 1,5 milhão de mortes”, disse a inspetora sênior, Grace De Lange, gerente da Unidade de Proteção de Animais de Fazenda da NSPCA, em uma declaração de setembro.

“Aqueles que sobreviverem à viagem enfrentarão os horrores de chegar a um país onde não há leis de proteção animal. Eles serão empurrados para dentro de caminhões e manuseados de forma desumana, apenas para serem mortos ainda totalmente conscientes, geralmente por matadouros não qualificados e na presença de outros animais”.

A NSPCA monitorou o recente processo de carregamento e as violações nos termos da Lei de Proteção aos Animais nº71 de 1962 foram observadas e documentadas pelos inspetores da NSPCA, bem como pelos inspetores de várias SPCAs (ONGS afiliadas à NSCPA) de Cidade do Cabo Oriental.

Foto: World Animal News/Reprodução
Foto: World Animal News/Reprodução

As condições a bordo do navio Al Shuwaikh incluíam níveis perigosos de amônia em alguns dos conveses fechados, ambientes sujos, incluindo fezes nas valas de água e comida, além de outras sérias preocupações com o bem-estar dos animais.

No cais e no confinamento, os animais foram tratados de maneira desumana e foram feitas tentativas de carregar ovelhas doentes, feridas e mancas. Infelizmente, esses pobres seres sencientes pareciam não significar nada para os funcionários e exportadores.

“Nosso pedido de tratamento humano dos animais caiu em ouvidos surdos”, disse De Lange em um comunicado feito dia 14 de novembro: “Testemunhar o sofrimento dessas ovelhas antes mesmo da partida do navio e assistir o Al Shuwaikh partir foi muito difícil, mas também confirmou a determinação da NSPCA de advogar por justiça em seu nome”.

Foto: NSPCA
Foto: NSPCA

De acordo com De Lange, documentos com as evidências relevantes foram entregues aos Serviços de Polícia da África do Sul, que agora deverão obter declarações dos acusados.

A NSPCA também se reuniu com seu advogado, que confirmou que a organização tem um caso para ser apresentado ao Supremo Tribunal. A intenção não é apenas garantir que o Al Shuwaikh não retorne às costas da África do Sul, mas também desafiar a questão da exportação de animais vivos por mar. As informações do World Animal News.