Esportes

Olhar Olímpico - Eventos de jiu-jítsu voltam em São Paulo mesmo com proibição

Ao menos dois eventos de jiu-jítsu foram realizados no estado de São Paulo nos últimos dois finais de semana e mais três, pelo menos, estão previstos para as próximas semanas. Isso enquanto o governo estadual proíbe não apenas a realização de eventos do tipo como também o treinamento de esportes de contato. No sábado (1), um evento de MMA chegou a ser cancelado de última hora depois de o Olhar Olímpico revelar sua realização.

Em comum, todos foram marcados para locais secretos. No caso do SFT 22, evento de MMA que seria transmitido pela Band no sábado, a justificativa oficial para não informar a localidade do torneio era evitar a presença de público. Ao anunciar a transmissão, porém, a Band informou que as lutas seriam em Guarulhos, sem detalhar o local. A prefeitura confirmou que recebeu os organizadores e disse a eles para seguirem o Plano São Paulo - que proíbe eventos de MMA.

Em São Bernardo do Campo, a Liga de Artes Marciais do Estado de São Paulo (Lamesp), entidade que capta recursos públicos para realizar o Thunder Fight, chegou a protocolar pedido de realização do evento, sem especificar data e horário. Ao Olhar Olímpico, a prefeitura disse que informou à liga, no início de julho, "que o evento não estava autorizado em razão das medidas de enfrentamento à Covid-19".

A Lamesp organizou o evento mesmo assim. Na página de inscrições para o Thunder Fight BJJ consta que o evento seria em São Bernardo do Campo, mas que "o endereço completo será divulgado apenas aos atletas participantes". Transmitido por pay per view, o evento clandestino teve divulgação em diversos sites especializados.

Outras três edições estão marcadas para os próximos finais de semana, mas agora a prefeitura de São Bernardo promete impedir. "Ao tomar conhecimento de que o evento foi realizado à revelia da determinação do município, a Prefeitura determinou que a Vigilância Sanitária e a secretaria de Obras realizem a fiscalização do local e havendo irregularidades o mesmo será lacrado", disse o governo municipal, ao Olhar Olímpico.

O BJJ Stars, outro evento de elite do jiu-jítsu brasileiro, tomou cuidado mais cuidado para não divulgar onde aconteceram as lutas no fim de semana retrasado. Sites especializados publicaram apenas que as lutas aconteceram em "local secreto" em São Paulo. Lutaram nomes de destaque do MMA brasileiro, como Sergio Moraes (tricampeão mundial de jiu-jítsu), Kaynan Duarte (campeão mundial ano passado, perdeu o título por doping) e Gabriel Gonzaga (ex-UFC, chegou a disputar o cinturão do peso pesado).

Realizados de forma clandestina, os três eventos estão entre os principais de lutas do país. Os três têm como ponto comum o apoio de vereadores de São Paulo. Só no ano passado, por emendas ao orçamento propostas por vereadores, a prefeitura de São Paulo pagou pela realização de quatro edições do Thunder Fight, quatro do SFT (via Liga Nacional de Lutas, Artes Marciais e Esportes de Combate) e uma do BJJ Stars (via Instituto Nacional Pedra 90).

Procurada pela reportagem, uma vez que o BJJ Stars teria acontecido na cidade de São Paulo, a prefeitura paulistana disse que "conta com o bom senso e a colaboração de toda a população para que não participe destas atividades não autorizadas". A prefeitura de Guarulhos, na sexta, comentou apenas que, quando foi procurada pelos organizadores do SFT, "solicitou que atendam as normas vigentes no Plano São Paulo, de responsabilidade do Governo de Estado". Ela não respondeu questionamentos sobre as normas proibirem eventos assim.

O governo do Estado, por sua vez, diz que a prática de esporte de contato direto está proibida no estado na fase amarela do plano São Paulo e "a fiscalização deste tipo de evento cabe às prefeituras municipais". O governo não respondeu os pedidos de comentários sobre o descumprimento das regras sanitárias impostas pelo estado. Os organizadores do BJJ Stars e do Thunder Fight não responderam aos pedidos de entrevistas.

Também está programado para a cidade de São Paulo, no final de agosto, o principal evento de boxe profissional do país, o Boxing For You, com a presença dos medalhistas olímpicos Esquiva Falcão e Robson Conceição. O evento promete testar os atletas e os membros do staff, mas está mantido mesmo com as proibições vigentes na fase amarela - o que pode mudar até a data de realização.

Já a seleção de boxe amador, olímpico, está treinando em Embu das Artes, na Grande São Paulo, em um hotel, apesar das proibições vigentes no estado. A Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) tem um CT dentro de um clube municipal da cidade de São Paulo, em Santo Amaro, mas o protocolo aprovado para treinar ali não permite o contato físico.