Esportes

Novo 'rolê aleatório' | Ronaldinho agora pode mexer com o seu dinheiro

Novo 'rolê aleatório' | Ronaldinho agora pode mexer com o seu dinheiro

Fora do futebol há quase dois anos, Ronaldinho Gaúcho não fica só no meme de seus "rolês aleatórios" depois da aposentadoria. Ele é investidor ou garoto-propaganda em diversos ramos, como produtos fitness, mercado imobiliário, academia, aplicativo, incubadora de startups, e por aí vai - um destes negócios, inclusive, é investigado por indício de pirâmide financeira, como contou o UOL Esporte.

Agora, o melhor jogador do mundo em 2004 e 2005 virou rosto de uma corretora cambial que atua em compra e venda de moeda estrangeira. A ideia é usar justamente a força de sua imagem fora do país para aumentar a visibilidade da empresa.

Ronaldinho, no entanto, será mais do que o garoto-propaganda da marca. Ele vai representar a plataforma em remessas de dinheiro daqui para o exterior (e vice-versa) e compra de papel-moeda, algo que funciona no site e nas redes sociais do ex-jogador, como se ele atuasse diretamente nas transações. Hoje esse processo acontece por meio de um link. "Ele traz um jeito novo de fazer câmbio, mais fácil, rápido e seguro", elogia Carlos Brown, que é sócio da Frente Corretora, dona da plataforma "Simple".

O conceito da "contratação" de Ronaldinho pela empresa, segundo apurou o UOL, é repetir "o que os craques fazem": transformar algo que era muito complicado em uma operação simples. Porém, a fama internacional e o grande número de seguidores do ex-jogador também pesaram na escolha - são quase 50 milhões de seguidores no Instagram, que já conta com o link em seu perfil.

Nos últimos anos, Ronaldinho Gaúcho marcou presença em eventos relativos a investimentos e mundo dos negócios e está cada vez mais inserido neste novo "rolê".

Ele também é embaixador do turismo brasileiro pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), ao lado de personalidades como Amado Batista, Richard Rasmussen, Renzo Gracie e a dupla sertaneja Bruno e Marrone. Curiosamente, ele teve seu passaporte retido entre 2018 e 2019 pelo não pagamento de uma multa milionária por dano ambiental e só conseguiu o documento de volta em setembro, após firmar acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Sul pelo pagamento, ao lado do irmão Roberto Assis Moreira, de uma multa de R$ 6 milhões.

Ele anunciou sua aposentadoria do futebol aos 37 anos, em janeiro de 2018, dois anos após seu último jogo profissional, pelo Fluminense. Revelado pelo Grêmio em 1998, ele passou por Paris Saint-Germain, Barcelona, Milan, Flamengo, Atlético-MG, Querétaro e Flu, além de ter participado fr duas edições da Copa do Mundo pela seleção brasileira - ele foi pentacampeão em 2002.