Esportes

Novata brasileira entra no ranking do UFC e crê em disputa de cinturão em 2020

Novata brasileira entra no ranking do UFC e crê em disputa de cinturão em 2020
Em alta na divisão peso palha do Ultimate Fighting Championship, Marina Rodriguez comprovou a boa fase com vitória sobre Tecia Torres, por decisão unânime, sábado passado, na estreia do UFC em Montevidéu, no Uruguai. A gaúcha de Bagé não só manteve a invencibilidade na carreira, como apareceu pela primeira vez no ranking da divisão até 52kg. Ela foi alçada logo entre as dez melhores da categoria, em décimo lugar, e já vislumbra uma disputa de cinturão no próximo ano.
Aos 32 anos, Marina Rodriguez completou a 12ª vitória na carreira, iniciada em 2015. A gaúcha tem 11 triunfos e um empate, diante de Randa Markos, por decisão majoritária dos juízes, na estreia no UFC, em setembro do ano passado. A brasileira é considerada revelação do MMA feminino e aposta para a divisão até 52kg. Ela bateu, em sequência, Jessica Aguilar e Tecia Torres, atletas com mais experiência na organização.
Depois de vencer Tecia Torres no Uruguai, Marina almeja voos mais altos no UFC e já pensa em disputar o cinturão no próximo ano. “É possível, é possível (disputar o cinturão em 2020). É até um pouco engraçado, mas é possível. Eles estão apostando grande em mim. Viram que tenho um diferencial dentro do octógono”, declarou.
“Sou uma atleta que busco a luta, não tenho medo de levar porrada, tenho golpes violentos, e o pessoal percebe isso, o Dana White viu que tenho um diferencial, que é um pouco distinto das outras meninas. Gosto de procurar a luta o tempo inteiro com golpes violentos, que é o que todo mundo gosta de ver e sempre buscando o nocaute”, enfatizou a atleta da equipe Thai Brasil.
Marina considera importante mostrar sempre a mesma postura nas lutas, diante de qualquer oponente. “Sempre me perguntam quem eu gostaria de enfrentar, e eu nunca respondo porque o UFC está nos dando grandes adversárias. A gente está muito satisfeita com as oportunidades. Eles estão com um plano legal para mim dentro do UFC, então estamos seguindo esse rumo aí que é melhor do que ficar pedindo luta”, frisou.

Fonte: Super Esportes

Créditos: Super Esportes