Esportes

Metodologia e cardápio de Jesualdo também geram desconforto no Santos

O Santos passa por um momento turbulento, mesmo liderando o seu grupo no Campeonato Paulista. O desempenho abaixo do esperado da equipe fez a pressão sobre Jesualdo Ferreira aumentar muito na Vila Belmiro. Por isso, muitos passaram a pedir até a troca de comando antes do clássico com o Palmeiras. Um ponto que também gera desgaste é o desconforto interno com a metodologia de trabalho do português.

Para alguns funcionários e jogadores, a conduta e as técnicas adotadas pelo treinador são consideradas antiquadas, despertando críticas. Até mesmo a intervenção na alimentação dos atletas suscitou tais questionamentos. No vestiário, ele teria proibido macarrão, enquanto as bananas têm de ser picadas. Os jogadores também não deveriam beber água no aquecimento, para evitar que pese na barriga.

Relacionadas

Sasha lamenta momento do Santos: "A desconfiança afetou um pouco o clube"

Com 6 gols em 7 jogos, Jesualdo ainda busca um ataque ideal para o Santos

Santos chega a maratona de jogos importantes em clima de desconfiança

No lanche antes das partidas alguns alimentos foram retirados e, como consequência, os jogadores teriam reclamado de ficar com fome. Gelatina e cenoura picada também estariam incluídas no cardápio, fato que também incomodou atletas.

Já nos aquecimentos, os jogadores estariam correndo por 12 minutos. Por isso, os santistas estariam mais cansados e sem velocidade na hora das atividades com bola. Na visão dos críticos, os treinos hoje são específicos por posição e não há necessidade para que se faça a corrida por tanto tempo.

O Santos enfrenta o Palmeiras neste sábado (29) no Pacaembu, pelo Paulistão. O clube tenta dar a volta por cima após a derrota por 2 a 0 para o Ituano na rodada anterior.