Esportes

Líderes do São Paulo aceitam redução salarial, mas decisão não é unânime

Por causa da paralisação nas competições em função da pandemia do coronavírus e da crise financeira, o São Paulo vai reduzir os salários dos jogadores pela metade. O clube chegou a apresentar uma proposta para os jogadores, que não foi aceita de maneira unânime. Por isso, o corte será aplicado por decisão unilateral.

Segundo apurou o UOL Esporte, os atletas considerados líderes do elenco — como Daniel Alves, Tiago Volpi, Hernanes e Alexandre Pato — entenderam a situação do clube. Porém, parte do plantel não aprovou as medidas. A principal reclamação era em relação aos direitos de imagem atrasados — a oferta tricolor era de quitar dois meses que estavam atrasados referentes a esse ano.

Como não tem condições de arcar com os vencimentos integralmente, os dirigentes resolveram seguir o exemplo do Atlético-MG. No caso, a equipe de Belo Horizonte diminuiu os rendimentos dos atletas em até 25% sem que eles fossem ouvidos para ajustar a situação.

Sem entrar em acordo com o elenco, o Tricolor paulista deu 20 dias de férias para o time. O pagamento do salário deverá ser efetuado nos próximos dias. Ainda não há uma previsão de quando as atividades serão retomadas.

É importante destacar que o São Paulo já enfrentava uma crise financeira muito antes da pandemia. O clube fechou a temporada 2019 com um déficit de R$ 156 milhões em seu balanço.