Esportes

Julio Gomes - Power Ranking da Champions League: o Bayern de Munique é o número 1

A Liga dos Campeões da Europa voltou, e os quatro times que conseguiram os melhores resultados nas partidas de ida das oitavas de final, lá atrás, em fevereiro, confirmaram no fim de semana a classificação para as quartas. A partir desta quarta, em Lisboa, começa o "final eight", uma mini Champions, com sete jogos únicos em estilo Copa do Mundo.

Elaborei um ranking de forças entre os 8 clubes sobreviventes em busca da taça mais desejada, a "orelhuda". O Bayern de Munique e o Barcelona são os únicos clubes vivos que já foram campeões europeus. E se enfrentam logo de cara! Quem passar, será o único ex-campeão nas semis. Camisa pesa? Às vezes sim, às vezes não.

O que pesa mesmo é a bola. E o Bayern de Munique é quem mais jogo em 2020, antes e depois da parada pela pandemia. Portanto, é o #1. Vamos ao ranking!

8- LYON

Apesar de ter heroicamente eliminado a Juventus, o Lyon é o clube remanescente com menos chances de ser campeão europeu. A tabela é simplesmente ingrata demais. Primeiro, o City, depois, Bayern ou Barça. É claro que são jogos únicos, literalmente qualquer um dos oito pode ser campeão. O título pode vir com três empates! Mas seria cômodo demais dizer que simplesmente "tudo pode acontecer". O Lyon é bem montado defensivamente, mas tem problemas de criação. Não vai longe - ou melhor, já foi longe demais.

7- RB LEIPZIG

É um time que empata demais, o que também é o caso de seu adversário, o Atlético de Madrid. Em maio e junho, no que restava de Bundesliga, ganhou quatro, empatou quatro e perdeu uma, para o Borussia Dortmund, no jogo que definia o vice-campeão. Sem Timo Werner, que partiu para o Chelsea, o time perde muito poder de fogo na frente.

6- BARCELONA

Nunca o Barça esteve tão abaixo em uma lista assim na era Messi. É que esse é o Barça menos confiável desde o surgimento do maior jogador de sua história. Um time que perdeu a Liga para o Real Madrid e que não tem química entre técnico e jogadores. O trio Messi-Suárez-Griezmann nunca funcionou, tudo sempre depende de o argentino botar a bola embaixo do braço e resolver, como fez contra o Napoli. Para chegar à final, Messi terá de resolver a parada contra o Bayern e contra, provavelmente, o City. Difícil imaginar.

5- ATALANTA

A queridinha de todos está na frente do Barça no ranking de forças da Champions. É um time que joga bom futebol, marca muitos gols (foram 98 na Série A!), mas tem um duríssimo duelo contra o Paris pela frente. Há de se ter cuidado para não confundir a capacidade do time com o desejo de ver o mais fraco triunfando. O título europeu nunca esteve tão ao alcance de um clube como a Atalanta, mas ainda precisa ser tratado como um sonho.

4- ATLÉTICO DE MADRID

O Atlético chega a Lisboa afetado pelo Covid, perdeu Correa e Vrsaljko e não se sabe se mais alguém aparecerá contaminado antes do jogo de quinta. A tensão está no ar, e é lógico que as notícias das últimas horas atrapalham a preparação para Lisboa. O time de Simeone é sinônimo de competitividade. Eliminou o Liverpool, campeão inglês, com torcida e tudo em Anfield, e o caminho rumo a mais uma decisão (perdeu em 2014 e 2016) tem RB Leipzig e, depois, o vencedor de PSG-Atalanta. Não olhe agora, mas o Atlético está invicto há 18 jogos, é um time difícil de ser batido. O perigo mora em jogos como este contra o Leipzig, um time que também gosta de contra atacar. O Atlético precisa conseguir se impor desde o início, coisa que é capaz de fazer com os jogadores talentosos que tem no meio e no ataque.

3- PARIS SAINT-GERMAIN

Sim, o duelo contra a Atalanta é perigoso, sem dúvida. Não, Mbappé não deverá estar em campo. E, apesar de ganhar as duas Copas domésticas, o Paris não fez lá grandes jogos oficiais desde a volta aos treinos e aos campos. Mas o PSG tem Neymar. É o grande momento do brasileiro se reivindicar com verdadeira estrela mundial, uma chance histórica para o Paris, afinal, ganhar a Europa. Os coadjuvantes já foram melhores em outros anos, às vezes Neymar parece desacompanhado no ataque, mas é aí que um craque precisa mostrar seu valor. O sistema defensivo segue sólido, o que é fundamental para as fases de jogos únicos.

2- MANCHESTER CITY

O que tira o time de Guardiola do topo da lista são os jogos de mata-mata que fez recentemente, contra Arsenal (eliminado da Copa da Inglaterra) e Real Madrid (sexta, na Champions). Parece que Guardiola não consegue imputar em seus jogadores o "sangue nos olhos" necessário antes de partidas de vida ou morte. É um timaço, De Bruyne é o meia mais completo da atualidade e Gabriel Jesus adquiriu muita confiança. O City deve passar pelo Lyon sem grandes problemas, mas a semi, contra Bayern ou Barcelona, com um dia a menos de recuperação, é uma barreira psicológica importantíssima a ser superada.

1- BAYERN DE MUNIQUE

São 18 vitórias seguidas, 30 em 33 jogos desde que Hansi Flick assumiu o comando técnico. O Bayern estava voando antes da pandemia, continuou voando depois e, mesmo com a ausência de jogos oficiais por um mês, chegou em agosto massacrando o Chelsea. São três jogos para reconquistar a Europa após sete anos e muitas batidas na trave. É um time fortíssimo em todos os setores e que tem no ataque o melhor jogador da temporada, Lewandowski. Sim, Messi, Guardiola e, por que não, Neymar, estão ou podem estar no caminho. Mas o Bayern é meu favorito no momento.