Esportes

Jô revela orações para Ronaldinho sair da prisão: 'Tenho gratidão grande'

Uma das grandes amizades que Ronaldinho Gaúcho nutriu em seu fim de carreira foi com o atacante Jô, no período de Atlético-MG, quando foram campeões da Libertadores de 2013. Preso no Paraguai desde o dia 4 de março acusado de falsificação de documentos, o craque não foi esquecido pelo antigo amigo, eleito o craque do Campeonato Brasileiro de 2017 - nesta época, pelo Corinthians.

Hoje defendendo o Nagoya Grampus, do Japão, Jô teve uma conversa exclusiva com o UOL Esporte e revelou toda a sua preocupação com o "Bruxo", que ainda não tem prazo para deixar o complexo da Agrupação Especializada da Polícia Nacional paraguaia.

Convertido ao cristianismo, o atacante perdeu o contato que tinha com Ronaldinho, mas nem por isso diminuiu o carinho que sente pelo astro, algo que o faz rezar constantemente para que tudo se resolva.

"Fiquei muito triste com a notícia (da prisão). É um cara que eu tive uma amizade muito boa quando jogamos juntos. Estou sempre orando por ele, e que isso passe logo para ele ter de volta sua vida normal, porque é uma pessoa que tenho uma gratidão muito grande", disse Jô.

O entendimento entre Ronaldinho Gaúcho e Jô não se limitou somente à afinidade. Dentro de campo, a dupla teve papel decisivo para o inédito título da Libertadores no Galo. Na campanha, o atacante foi o artilheiro da competição com sete gols e ainda três assistências. Já o "Bruxo" fez quatro gols e deu nove assistências.

O sucesso da parceria fez com que Jô desbancasse favoritos e fosse convocado para a Copa do Mundo de 2014.

Ronaldinho segue com seu caso indefinido. Por conta da pandemia de coronavírus, o Poder Judiciário do Paraguai foi fechado e será reaberto apenas no dia 12 de abril, o que retardará o andamento do processo.

Nega conversas com Flamengo

Atacante Jô defende atualmente o Nagoya Grampus, do Japão  - Divulgação/nge_official
Atacante Jô defende atualmente o Nagoya Grampus, do Japão
Imagem: Divulgação/nge_official

No início deste ano, Jô esteve no centro de treinamento Ninho do Urubu, do Flamengo, para realizar tratamentos de recuperação em seu joelho esquerdo. O atacante elogiou a estrutura do Rubro-negro na ocasião, mas negou que tenha conversado com a diretoria sobre a possibilidade de se transferir para o clube carioca.

Jô tem contrato com o Nagoya Grampus até o fim de 2020. Com o recesso do futebol por conta da pandemia do coronavírus, o jogador tem procurado ficar em isolamento com a família no Japão, e ainda não tem seu futuro definido após o término do vínculo:

"Não sei o que está sendo reservado para mim, Deus sabe de todas as coisas. Meu contrato termina no final desta temporada, ainda é cedo para saber o que farei".